Capitais brasileiras registram radiação solar extrema

Capitais brasileiras registram radiação solar extrema

Atualizado: Quarta-feira, 24 Fevereiro de 2010 as 12

O céu aberto, quase sem nuvens desta terça-feira (23) trouxe uma ameaça para a saúde: a forte radiação solar. O céu aberto, quase sem nuvens desta terça-feira (23) trouxe uma ameaça para a saúde: a forte radiação solar. Segundo o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) todas as capitais brasileiras, incluindo Brasília, apresentaram nível extremo de radiação.

Em 24 delas, o índice de raios ultravioleta - conhecido como “índice UV” - foi de 14, o número que representa perigo máximo. O excesso de exposição aos raios ultravioleta é o principal responsável por doenças como câncer de pele.

"Nós temos os índices máximos, mantendo até o final deste mês e no começo de março. Depois nós teremos uma diminuição dos índices ultravioleta", afirma a pesquisadora Simone Sievert, do Inpe.

Enquanto o índice UV não baixa, o dermatologista Sérgio Shalka recomenda que as pessoas usem chapéus ou bonés e aumentem a ingestão de água. "Principalmente com as crianças que desidratam com muita facilidade", alerta.

Mas a proteção mais eficaz em um sol como o dos últimos dias é o protetor solar. Shalka diz que o ideal é usar meia colher de chá do produto no rosto, meia colher para cada braço, uma colher para o peito e abdômen, uma colher para as costas e uma colher para cada perna.

Foto: A tarde

veja também