Cardiologista alerta para o aumento de estresse em jovens

Cardiologista alerta para o aumento de estresse em jovens

Atualizado: Quinta-feira, 27 Agosto de 2009 as 12

Problemas familiares, falta de dinheiro, conflitos sociais, constante preocupação com prazos, excesso de responsabilidades, combinar estudos e trabalho são algumas das causas que desencadeiam o estresse. E por que está atingindo não só os adultos, como no passado, e cada vez mais pessoas jovens? Um dos fatores que aumentam esta incidência prematura é a escola, local em que os adolescentes de hoje iniciam todo o processo de "pressão" interna.

Segundo a cardiologista do HCor, Dra. Ieda Maria Liguori, há dois tipos de estresse: agudo - consequente a acontecimentos traumáticos como perda de ente querido, um assalto, doença grave na família, perda de trabalho etc; e crônico - resultante do estresse do dia a dia como problemas profissionais, econômicos, e familiares.

A constante preocupação com a escolha da faculdade e com a carreira profissional pretendida e a eterna dúvida do "que vou ser quando crescer?", são os principais motivos para o jovem apresentar um quadro de estresse. É na escola que os jovens se deparam com estes conflitos e, pressionados principalmente pelos pais, não sabem como lidar com eles e chegam ao "limite". Além disso, há a obsessiva vontade de se ter o corpo perfeito - baseado no modelo de beleza atual. O estresse gera ansiedade que pode causar inúmeros problemas na saúde e prejudicar os estudos.

Já no trabalho, os adultos sofrem tanto ou mais que os jovens. As inúmeras tarefas e as horas que nunca são suficientes para colocar tudo em ordem são alguns dos motivos. O excesso de responsabilidades, prazos curtos para entrega das tarefas, além do esforço intelectual maior do que o reconhecimento financeiro acaba por aumentar o nível de estresse nestas pessoas.

"Cada vez mais o estresse está atingindo os jovens. Atendemos estes pacientes e percebemos que muito se deve ao aumento dos níveis de cobrança e responsabilidades que lhe são impostas por conta da alta competitividade profissional. E as mulheres estão mais suscetíveis ao estresse porque além de estarem no mercado profissional continuam mantendo as tarefas familiares cotidianas", relata Dra. Ieda.

Problemas para o coração

Segundo a cardiologista, o coração de uma pessoa estressada sofre conseqüências: "o estresse crônico pode levar ao aumento da pressão arterial e taquicardia, e é um dos fatores de risco para coronariopatia. O estresse agudo em adultos e idosos pode causar miocardiopatia adrenérgica, também conhecida por síndrome do coração partido".

Os sintomas do estresse são inúmeros. A pessoa fica agressiva, não tem vontade de interagir com os outros, tem dificuldade de se comunicar. "Existem outros sintomas como irritabilidade, perda de concentração e memória, problemas intestinais (diarréia, constipação), dificuldades para dormir, aumento da pressão arterial, dores de cabeça, ganho ou perda de peso", diz a Dra. Ieda.

Como evitar o estresse

Praticar atividades físicas regularmente, dormir bem, ter uma alimentação saudável, momentos de lazer, procurar métodos de relaxamento (yoga, massagem, ouvir música, aulas de dança etc), aumentar o tempo de convívio familiar e social, delegar atividades para evitar sobrecarga de trabalho, evitar situações de estresse como trânsito, ter pensamentos positivos, ter um hobby (terapia ocupacional), planejar melhor as atividades - lembrar sempre que o dia só tem 24h são algumas das dicas para evitar o estresse. Para as pessoas que têm sintomas do estresse ou mesmo com histórico de doenças na família, a recomendação é procurar um médico para um diagnóstico preciso.

veja também