Casos de conjuntivite aumentam, mas podem ser evitados com medidas simples

Casos de conjuntivite aumentam, mas podem ser evitados com medidas simples

Atualizado: Quinta-feira, 7 Abril de 2011 as 8:18

Evitar locais com aglomeração ou contato com indivíduos contaminados são as principais recomendações para não ser "pego" de surpresa pela conjuntivite, inflamação da conjuntiva (membrana que reveste o "branco" do olho) que pode causar alterações na córnea e nas pálpebras.  A doença é transmitida com facilidade, mas também pode ser evitada com cuidados simples.

"Os primeiros sintomas normalmente são ardência, lacrimejamento, sensação de areia nos olhos, vermelhidão e inchaço. Também pode aparecer secreção e muitas vezes até dor nos olhos", explica o oftalmologista Luiz Fernandes, diretor médico para a América Latina da Bausch+Lomb, laboratório farmacêutico com foco na área oftalmológica. Porém, o especialista alerta para o fato de que nem todas as pessoas com conjuntivite apresentam todos estes sintomas. Da mesma forma, nem toda pessoa com irritação nos olhos e lacrimejamento tem conjuntivite. "Outras doenças podem se manifestar dessa mesma forma. Só uma avaliação médica pode determinar o diagnóstico correto", diz.

Embora as conjuntivites possam ser alérgicas, virais, bacterianas ou irritativas (exposição a produtos químicos), apenas as infecciosas (virais e bacterianas) são contagiosas. Já as virais são as que normalmente causam as epidemias. "Para combater uma epidemia é importante que as pessoas com conjuntivite e também aquelas não apresentam a doença, conheçam as principais medidas para evitar o contágio, como lavar o rosto e as mãos com freqüência e impedir a transmissão de microorganismos", recomenda o oftalmologista.

Como prevenir o contágio?

Medidas como não coçar os olhos antes de lavar as mãos, não compartilhar objetos de uso comum com pessoas contaminadas e evitar locais com aglomeração de pessoas são as principais recomendações para evitar e não espalhar a doença.

Tratamento

Simples e eficaz, o tratamento deve ser iniciado logo quando os primeiros sintomas aparecem. "Fazer compressas com água filtrada gelada ou soro fisiológico (com gase ou algodão), não coçar a região afetada e não usar água boricada ou chás caseiros ajudam na rápida recuperação", alerta Dr. Fernandes.

Ainda de acordo com o especialista, caso os sintomas persistam é aconselhável que o paciente procure um oftalmologista. Nos casos de conjuntivite viral, que normalmente causam os surtos da doença, o médico recomenda o uso de lubrificantes oculares. "A Bausch+Lomb possui medicamentos específicos para este problema. O Artelac, por exemplo, é um lubrificante ocular em gotas que possui as mesmas características da lágrima natural, e por isso alivia os sintomas da conjuntivite", afirma o oftalmologista.  Sobre a Bausch+Lomb

A Bausch Lomb se dedica a levar idéias visionárias para a saúde ocular. Seus negócios principais incluem lentes de contato e soluções, dispositivos e instrumentos para cirurgia oftalmológica, e produtos oftálmicos farmacêuticos. O nome Bausch+Lomb é uma das marcas mais conhecidas e respeitadas do mundo na área da saúde. Fundada em 1853, a empresa tem sua sede em Rochester, N.Y., e emprega 10.000 pessoas em todo o mundo. Seus produtos estão disponíveis em mais de 100 países. Para mais informações, acesse www.bausch.com .

veja também