Chuvas: HC alerta para os riscos das pessoas contraírem hepatite A

Chuvas: HC alerta para os riscos das pessoas contraírem hepatite A

Atualizado: Terça-feira, 22 Setembro de 2009 as 12

As fortes chuvas aumentam os riscos das pessoas contraírem hepatite A – doença altamente contagiosa, cuja transmissão ocorre, na maioria dos casos, pela ingestão de água ou alimentos contaminados com o vírus.

O alerta é da hepatologista Suzane Kioko Ono-Nita, do Serviço de Gastroenterologia Clínica do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP.

Segundo a médica, as enchentes, ocasionadas pelas fortes chuvas, aumentam às chances de contaminação de rios, lagos, piscinas e mar com água de esgoto.

O consumo de alimentos e de líquidos de procedência desconhecida também são formas de contrair a doença, explica a médica.

A hepatite A acomete 1,4 milhões de pessoas a cada ano, em todo o mundo. A transmissão é via fecal-oral, ou seja, o vírus eliminado nas fezes chega à boca pela falta de lavagem das mãos da pessoa infectada.

Sintomas

A doença pode ser assintomática ou sintomática. O período de incubação do vírus da hepatite varia de 20-50 dias (ou mais em crianças). As pessoas infectadas podem transmitir a hepatite A antes dos sintomas aparecerem.

Quando sintomática, a doença pode apresentar-se como um quadro gripal ( febre, calafrios e sensação de fraqueza generalizada). Na fase avançada, os sintomas são náuseas, icterícia (amarelamento dos olhos e da pele), urina escura, fezes de cor clara, dor abdominal e fadiga.

Geralmente a hepatite A não evolui para infecção crônica, embora a recuperação completa possa levar várias semanas e raramente se apresenta de forma fulminante.

Orientação:

A médica enumera alguns cuidados básicos para a prevenção da doença. Lavar bem as mãos após ir ao banheiro e sempre antes de manusear os alimentos. Evitar tomar água não tratada ou tomar bebidas que contenham cubos de gelo feitos a partir dessa água. Evitar comer frutas, saladas e vegetais crus não higienizados adequadamente. Redobrar a atenção no consumo de carne crua ou mal passada e de mariscos, ostras e mexilhões. Postado por: Felipe Pinheiro

veja também