Cirurgia deixa 47% dos epiléticos sem crises por 10 anos

Cirurgia deixa 47% dos epiléticos sem crises por 10 anos

Atualizado: Segunda-feira, 17 Outubro de 2011 as 8:41

Pacientes com epilepsia que não conseguem controlar as convulsões com remédios, devem ser encaminhados à cirurgia, segundo pesquisadores. Os cientistas da universidade College London descobriram que quase metade das pessoas permanecem por dez anos sem ter crises, se forem submetidas à operação no cérebro. As informações são do Daily Mail.

Os cientistas acompanharam 615 pós-operatório por 19 anos. Eles descobriram que 82% deles ficaram livres de crises por um ano, 52% por cinco e 47% não tinha sofrido convulsão uma década depois da cirurgia.

Os especialistas acreditam que a descoberta contribui para uma melhor avaliação pré-operatória e mais agilidade no encaminhamento à cirurgia. Cerca de metade dos casos de epilepsia são focal - onde uma parte específica do cérebro é afetada - e a cirurgia só está disponível para eles no Reino Unido, depois do fracasso no tratamento com medicamentos.

A doença

A epilepsia é uma desordem cerebral que pode causar convulsões recorrentes, em que as células do cérebro enviam sinais com defeito, causando espasmos musculares e perda de consciência. Cerca de 50 milhões de pessoas, em todo o mundo, enfrentam o problema.

Segundo a Organização Mundial da Saúde, estudos recentes têm mostrado que até 70% das crianças recém-diagnosticados e adultos com epilepsia podem ser tratados, com sucesso, com medicamentos anti-epilépticos.

Depois de entre dois e cinco anos de sucesso do tratamento, os medicamentos podem ser retirados em cerca de 70% das crianças e 60% dos adultos sem provocar novas crises.

veja também