Com os pés no chão

Com os pés no chão

Atualizado: Quinta-feira, 24 Março de 2011 as 1:16

Usar sapatos apertados, chegar em casa no final do dia e arrancá-los dos pés – essa é a verdadeira felicidade!”, diz Nelson Astur Filho, ex-presidente da Associação Brasileira de Medicina e Cirurgia do Tornozelo e Pé (ABTPé). Mas nem só por sapato apertado sofrem os pés: pesquisas apontam que 70% da população mundial tem algum problema ou dor nessas extremidades em algum momento da vida 1 .

“No caso dos pés, as pessoas procuram ajuda médica cedo”, explica Nelson, “já que eles são imprescindíveis para a locomoção”, complementa. Diferentemente de outros tipos de dor, como as nas costas e na coluna, em que 69% dos brasileiros se deixam acometer por mais de um ano antes de buscar ajuda 2 .

Por isso, quando se trata de pés, geralmente o diagnóstico é precoce e, entre os problemas mais comuns apresentados por adultos, está o popular joanete. Na medicina, ele é consequência de uma deformidade no dedão, chamado de hálux valgo e trata-se de um desvio lateral da articulação que fica entre esse dedo e o pé. Além da hereditariedade, é também causado pelo uso de calçados apertados, com salto alto e bico fino – não à toa, é um problema predominantemente feminino: a cada 10 mulheres, apenas um homem apresenta joanete. As consequências? Saliência do osso do dedão – que aponta cada vez mais para os outros dedos –, dor e edema na articulação e aparecimento de calos.

Há também a metatarsalgia. O nome complicado denomina outro problema frequente em pés de adultos: uma dor na parte de baixo, na região bem próxima aos dedos. “Aquela almofadinha que temos na sola anterior do pé”, simplifica Nelson. Ela é uma consequência da sobrecarga nos ossos chamados metatarsos – são aqueles compridos, que ficam entre o calcanhar e os dedos – causada por atividades como corrida ou caminhada.

Outro problema comum é a fascite plantar, inflamação em um tecido bastante resistente que fica na planta dos pés, funcionando como se fosse uma corda quando mexemos os pés. Ela causa bastante dor no calcanhar e geralmente se manifesta quando a pessoa acorda e caminha descalça ao levantar da cama. Excesso de peso, pés planos ou cavados contribuem para o aparecimento da fascite plantar, assim como ficar longos períodos em pé. 

Seja qual for o problema, a qualquer sinal de desconforto, dor ou anormalidade, é essencial procurar um ortopedista – se possível especialista em medicina e cirurgia do pé. Este é o profissional capacitado para diagnosticar e tratar o problema. No caso do joanete, metatarsalgia e fascite plantar, o tratamento prescrito pode incluir um simples repouso, uso de palmilhas, de anti-inflamatórios ou mesmo cirurgia. Atualmente, há opções seguras e eficazes dessa classe de medicamentos, denominada inibidores da enzima COX-2, que bloqueiam especificamente esta substância, responsável por causar dor e inflamação. Por isso, alivia a dor causando menos danos ao estômago, efeito colateral frequente com o uso dos anti-inflamatórios tradicionais .  

Antes do tratamento, porém, vale a prevenção. E para preservar as centenas de ligamentos, dezenas de músculos e ossos e diversas articulações formam nossos pés, vale seguir algumas dicas, como as listadas abaixo

Fonte> CDN  

veja também