Como a exposição à mídia prejudica o desempenho escolar

Como a exposição à mídia prejudica o desempenho escolar

Atualizado: Terça-feira, 6 Abril de 2010 as 12

Um estudo americano procura explicar porque e como a exposição aos programas de televisão piora o desempenho escolar de adolescentes.

Pais e professores são unânimes em afirmar que assistir televisão não é lá muito bom para os adolescentes. Pior ainda se for excesso de TV. Até aí tudo bem. Mas explicar como isso ocorre é outra história. Ou melhor, era outra história. Um estudo americano parece ter as explicações. Nesta pesquisa, quase 7 mil jovens entre 10 e 14 anos responderam questionários sobre uso da TV: horas na frente da tela, conteúdo dos programas, TV no próprio quarto, etc. Eles foram entrevistados por telefone, no início da pesquisa e em outras 3 ocasiões; após 8, 16 e 24 meses. A "performance" escolar foi o desfecho principal do estudo. As conclusões são interessantíssimas.

Primeiro, comparados aos jovens com melhores notas, os participantes com notas na média ou abaixo eram mais propensos a ter uma televisão no quarto, ver mais horas de ver televisão e jogar vídeo game, e assistir filmes principalmente de filmes classificado como pouco adequados para a faixa etária.  Segundo, a exposição à TV tem efeito indireto na piora da "performance" escolar por meio do que os autores denominaram busca por sensações. Em outras palavras, coisas como escutar música alto, fazer coisa perigosas e assustadoras. Além do uso de cigarro e álcool. Do mesmo modo filmes inadequados se associaram com problemas comportamentais.

Finalmente, o conteúdos do programas e tempo de exposição à TV tiveram impacto na performance escolar do mesmo modo que outros fatores importantíssimos tais como renda familiar, autoridade dos pais e auto controle do adolescente. Conclusão: seu filho pode achar muito legal passar horas na frente da televisão assistindo violência e sexo, mas dificilmente isso vai ajudá-lo a passar na escola (Sharif I, Wills TA, Sargent JD. Effect of Visual Media Use on School Performance: A Prospective Study. Journal of Adolescent Health 46 (2010): 52–61)

Postado por: Felipe Pinheiro

veja também