Como alimentar corretamente as crianças?

Como alimentar corretamente as crianças?

Atualizado: Terça-feira, 27 Maio de 2008 as 12

Como agir para que os filhos tenham uma alimentação saudável na infância? O que deve ser incluído ou qual alimento deve ser excluído? Como ajudar para que criem hábitos alimentares saudáveis duradouros, levando-os inclusive para a vida adulta? Essas são apenas algumas dúvidas que passam pela cabeça dos pais. As especialistas do Baby SIN - Sistema Inteligente de Nutrição para bebês e crianças até 4 anos, a nutricionista Luciana Batista e a médica nutróloga Beatriz Manzochi, esclarecem o que é mito e o que é verdade quando o assunto é a alimentação das crianças.

Alimentos congelados não são indicados para bebês e crianças.

Mito. O congelamento é um sistema eficiente de conservação. Não altera as características dos alimentos e conserva o seu sabor, coloração e propriedades nutritivas. Se congelados e descongelados corretamente não causam danos à saúde. Normalmente, nas embalagens constam a melhor forma de conservação após aberto.

Comer de tudo na infância garante uma vida adulta saudável e livre da obesidade.

Mito. O "comer de tudo" deve estar associado aos alimentos saudáveis e que possam garantir que a criança esteja recebendo os nutrientes necessários para o seu crescimento. Os pais devem estar atentos ao ganho excessivo de peso dos filhos na infância. É nessa fase que ocorre o aumento do número de células de gordura, que dirá como será o indivíduo na vida adulta.

Amamentar pode evitar a obesidade infantil.

Verdade. O aleitamento materno tem papel fundamental para evitar a obesidade na criança e pode ser substituído por fórmulas lácteas adequadas para a idade quando houver necessidade. Até os seis meses é ideal que o bebê se alimente apenas de leite materno. No primeiro ano de vida são indicados alimentos complementares (incluídos logo após o período exclusivo do leite materno, como frutas e legumes, seguidos de caldos de carne e frango).

Os fast-foods e guloseimas podem ser oferecidos para as crianças como recompensa.

Mito. Os pais não devem usar a comida como recompensa, prêmio ou barganha e devem promover atividades para impedir o sedentarismo das crianças. Os pais que reservam um dia na semana para as guloseimas podem estar agindo de forma errada, pois com isso as crianças valorizam mais ainda os alimentos que não são saudáveis.

Os pais servem de exemplo para as crianças.

Verdade. A criança observa os pais e se sente mais motivada. Em alguns casos, é necessária uma reeducação alimentar para toda a família.

A alimentação saudável é fundamental para prevenir doenças.

Verdade. A má alimentação pode provocar doenças como a obesidade, hipertensão, diabetes, infartos e derrames. Com uma alimentação diária balanceada é possível ter um melhor aproveitamento para as atividades físicas, intelectuais e emocionais. A boa alimentação regula a digestão, a produção de energia e o sono.

É importante seguir uma rotina alimentar desde os primeiros anos de vida.

Verdade. Quando há uma interrupção na rotina das crianças, mesmo em época de festas, é pouco provável que os pais consigam voltar aos bons hábitos. Até o primeiro ano os pais devem seguir uma rotina sem exceções. Acima dessa idade, as crianças já podem começar a comer com a família. Uma rotina alimentar saudável ajuda a evitar a obesidade.

Criança e chocolate não combinam.

Verdade. Bebês com menos de um ano não devem consumir chocolates, pois é feito com leite de vaca e é rico em açúcar e gorduras, não indicados para essa idade. A partir de um ano, a criança já está apta a consumir leite de vaca e derivados, mas ainda deve-se cuidar com a quantidade de chocolate que ela vai comer. O consumo excessivo de doces pode desencadear diarréias e náuseas, devido ao alto teor de açúcar e gordura. A ingestão indiscriminada pode aumentar o peso e contribuir para o aparecimento de algumas doenças relacionadas à obesidade.

Postado por: Claudia Moraes  

veja também