Como se desenvolve a cárie?

Como se desenvolve a cárie?

Atualizado: Quinta-feira, 30 Junho de 2011 as 10:41

Ela é causada por bactérias que produzem ácidos capazes de corroer o   dente , formando um pequeno buraco. O desenvolvimento da cárie leva de algumas semanas até vários meses, mas a dor só aparece quando a "escavação" se aproxima da polpa do   dente , um conjunto sensível de nervos e vasos sanguíneos. O "prato" preferido das bactérias é o açúcar refinado e, como o produto virou ingrediente básico da alimentação moderna, as cáries nos últimos séculos se tornaram uma verdadeira praga para a humanidade. "Até alguns anos atrás, as pessoas já usavam dentadura aos 40 anos. Só com os novos tratamentos, passou a ser possível manter os dentes por toda a vida", diz o odontologista Pedro Duarte, da Universidade Paulista (Unip) e da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). Para evitar o problema, a dica mais importante é escovar os dentes no mínimo duas vezes por dia, sendo o ideal mesmo fazer essa limpeza após comer qualquer alimento.

É fundamental caprichar principalmente na escovação noturna, pois as bactérias são mais ativas à noite, quando a salivação, que ajuda na limpeza, é menos intensa. Passar fio dental também é indispensável, já que ajuda a evitar cárie entre os dentes e a prevenir problemas de gengiva. Fora isso, é preciso visitar o dentista   pelo menos duas vezes por ano para fazer a limpeza da   boca   e a aplicação de flúor. Vale lembrar que a infância é a fase mais delicada para a formação dos dentes. Nesse período, o flúor, que está presente na água encanada, é muito importante. Por outro lado, é bom evitar adoçar a mamadeira com açúcar ou dar mel para a criança na chupeta, o que pode causar a "cárie de mamadeira", que é dolorosa e fulminante. Também na infância, deve-se tomar cuidado com certos antibióticos, como a tetraciclina, que prejudicam a dentição.

Mergulhe nessa

Na internet:

www.portalodonto.com.br/prevencao.asp

www.howstuffworks.com/cavity.htm

Armadas até os dentes Bactérias usam restos de comida como munição para escavar buracos 1. Quando não é feita uma boa escovação após as refeições, restos de comida se acumulam nos dentes, servindo de alimento para bactérias que vivem na   boca , principalmente as do tipo Streptococcus mutans. Comidas com muito açúcar e que grudam no   dente , como bolachas ou balas de mastigar, são as preferidas desses seres microscópicos

2. Quando encontram alimento na   boca , as bactérias se duplicam desenfreadamente. A mistura de tais microorganismos com os restos de comida forma a chamada placa bacteriana, uma fina camada que deixa os dentes com um tom amarelado

3. Depois de algum tempo, a placa bacteriana se torna mais rígida, formando uma camada que gruda no   dente   e não sai com a escovação. É o famoso tártaro, que geralmente aparece junto à gengiva, região mais difícil de limpar. O tártaro não tem nada a ver com a cárie, mas provoca problemas na gengiva, podendo levar à perda do   dente

4. O que irá produzir a cárie é um outro subproduto da ação bacteriana, um ácido que corrói o esmalte, a camada mais resistente e superficial do   dente , abrindo um buraquinho no local. A maior parte das cáries aparece na parte de cima dos dentes, onde os sulcos ajudam a esconder e proteger as bactérias da escovação diária

5. Para tratar do problema, o   dentista   usa a temida broca. Ela ajuda a remover a parte do   dente   afetada pela corrosão. Após limpar o terreno, o dentista   preenche o buraco, normalmente com uma resina da cor do dente

6. Se não houver um tratamento a tempo, a camada de esmalte pode ser totalmente perfurada, levando à cárie na dentina, a segunda camada do  dente . Lá, a cárie se espalha rápido, pois ela é toda perfurada por pequenos tubos, que facilitam a ação bacteriana

7. Após esburacar a dentina, a cárie pode atingir a polpa, um conjunto de nervos e vasos sanguíneos, e gerar uma inflamação, quando a dor se torna mais intensa. A inflamação pode chegar até a raiz e formar um abscesso. Aí o jeito é fazer um tratamento de canal, que remove todos os nervos da raiz. Se o problema continuar, a saída pode ser a extração do dente

veja também