Como se expôr ao sol sem prejudicar a saúde? Dermatologista dá dicas

Como se expôr ao sol sem prejudicar a saúde? Dermatologista dá dicas

Atualizado: Segunda-feira, 11 Outubro de 2010 as 4:28

Para aproveitar o melhor do sol, todos os anos chegam ao mercado muitos reforços ao arsenal contra os raios UVA e UVB. Os mais recentes incluem desde maquiagem até roupas que impedem os efeitos nocivos.

Usar esses produtos regularmente protege de envelhecimento precoce, queimaduras, manchas e, principalmente, câncer. A cada ano, 100 mil novos casos de câncer de pele surgem no Brasil, e 80% deles poderiam ser prevenidos com o uso regular de protetor solar.

É importante lembrar que, em certa dose, o sol faz bem. Expor-se de 10 a 15 minutos ao dia, com protetor, faz bem aos ossos e defende de problemas do coração. O sol ainda estimula a produção de serotonina, neurotransmissor responsável pela sensação de bem-estar.

A dermatologista Rafaela Bergman Correia, representante da Sociedade Brasileira de Dermatologia em Caxias do Sul, ajuda na melhor escolha do protetor solar e conta quais são as novidades do mercado. Confira:

Novidades

Nanotecnologia: o que há de mais moderno em ciência e tecnologia já cabe em pequenos frascos. Algumas fórmulas contêm substâncias que protegem o núcleo da célula contra o câncer e o envelhecimento. Alguns filtros são ricos em substâncias antioxidantes que ajudam a reorganizar o colágeno, amenizando as linhas de expressão e a flacidez.

Roupas com protetor solar: substâncias químicas especiais no tecido impedem a ação do sol na pele coberta pela roupa. Há camisetas, chapéus com abas largas, saídas de praia, luvas e roupas de banho para adultos e crianças. A proteção não sai com as lavagens. A grande vantagem é que onde a roupa cobre não há necessidade de usar o protetor solar tópico.

Fotoprotetores orais: fórmulas em cápsulas que protegem as células contra os raios nocivos e retardam o envelhecimento. As principais substâncias são licopeno, betacaroteno, vitamina E, luteina, pycnogenol e polypodium leucotomos. Os fotoprotetores orais não substituem o uso do protetor solar convencional. São produtos que, dependendo da prescrição, podem ser usados diariamente (em peles especiais, com tendência a envelhecimento precoce e câncer de pele) ou em períodos de maior exposição solar. Conformee a dose, há risco de a pele ficar amarelada. Há outras substâncias, como silício orgânico, vitaminas E e C e derivados de algas, que podem ser usadas de maneira prolongada. O ideal é buscar orientação médica.

Sabonete com protetor: indicado para pessoas que lavam muito as mãos ou dirigem muito. Porém, o fator de proteção solar é baixo. O ideal ainda é usar protetores convencionais ou luvas com protetores solares na composição do tecido.

Cor: linha de protetores com cor, com aspecto de base em pó e compacta, o que permite uma pele maquiada, protegida e natural.

Hidratação: filtros solares incorporados a hidratantes facilitam o dia a dia, deixando a pele macia e protegida ao mesmo tempo.

Gel: para pessoas de pele oleosa, as versões de protetores em gel são uma ótima alternativa.

Só para homens: protetores solares especiais para o sexo masculino contêm produtos em forma de espuma enriquecidos com vitamina C, que, ao mesmo tempo protegem, clareiam a pele e melhoram linhas de expressão.

A cada ano, a indústria oferece mais produtos para aproveitar o sol sem colocar a saúde em risco. É possível se proteger com roupas, maquiagem e cápsulas:

Arme sua defesa

Torne o uso diário de protetor solar um hábito. O produto deve ser passado 30 minutos antes da exposição. Passe protetor nas partes expostas, use chapéu ou boné, óculos escuros de boa qualidade, camisa de manga longa de tecidos leves e calça. Evite expor-se ao sol de 10h a 16h. Em caso de suor excessivo ou exposição prolongada, reaplique o filtro a cada duas horas.

Corre mais riscos quem...

tem histórico familiar de câncer de pele. tem pele e olhos claros e cabelos ruivos ou loiros. trabalha frequentemente exposto ao sol sem proteção adequada.

Casos suspeitos

Manchas que coçam, ardem, escamam ou sangram. Sinais ou pintas que mudam de tamanho, forma ou cor. Feridas que não cicatrizam em quatro semanas. Mudança na textura da pele ou dor.

Compre certo

Pessoas de pele clara ou ruivas devem usar filtro solar com fator de proteção no mínimo 30.

Pessoas de pele moreno-clara devem usar fatores entre 20 e 30.

Negros precisam escolher fator 15.

Crianças, independente do tom de pele, devem passar filtro 30.

Pessoas muito claras, com histórico de câncer de pele na família ou que se expõem muito ao sol devem ter cuidados especiais e, de preferência, acompanhamento médico.

Bronze seguro

Quem tem a pele branca, ruiva ou com muitas pintas está proibido de se bronzear. A exposição solar prolongada pode resultar em queimaduras, manchas, rugas e até câncer.

Autobronzeadores são a opção segura para pessoas de pele branca ou ruiva, que queimam, e não conseguem um bronze bonito no sol, porque têm pouca melanina, que é o que dá o tom do bronzeado. Ela é liberada pelo organismo como um mecanismo de defesa contra os raios.

Pessoas de pele moreno-clara, mulata ou negra, além de usar protetor, devem seguir algumas recomendações: não ficar horas torrando ao sol nem se expor entre 10h e 16h, começar com exposição lenta e gradual (15 minutos de frente e 15 minutos pelo dorso), consumir alimentos ricos em betacaroteno e licopeno (mamão, cenoura, bergamota, laranja, abóbora e tomate), caprichar nos cremes hidratantes e fazer esfoliação facial e corporal uma vez por semana.

Quanto protetor usar

Uma pessoa com 70 quilos e estatura mediana deve passar:

1 colher (chá) para rosto e pescoço 1 colher (sopa) para cada membro 1 colher (sopa) para tronco (frente e costas) 1 colher (sopa) para braços e pernas Não esqueça de passar nas orelhas, em cima dos pés e atrás dos joelhos. No total, uma pessoa deve usar 20ml de protetor solar por vez. Dicas para esportistas Use sempre protetor solar de fator alto, com resistência a água e suor e que não arda os olhos. Reaplique o protetor após suar, se molhar ou a cada duas horas. Use roupas especiais, com proteção solar, chapéus ou bonés com abas largas.

Para aproveitar o melhor do sol, todos os anos chegam ao mercado muitos reforços ao arsenal contra os raios UVA e UVB. Os mais recentes incluem desde maquiagem até roupas que impedem os efeitos nocivos.

Usar esses produtos regularmente protege de envelhecimento precoce, queimaduras, manchas e, principalmente, câncer. A cada ano, 100 mil novos casos de câncer de pele surgem no Brasil, e 80% deles poderiam ser prevenidos com o uso regular de protetor solar.

É importante lembrar que, em certa dose, o sol faz bem. Expor-se de 10 a 15 minutos ao dia, com protetor, faz bem aos ossos e defende de problemas do coração. O sol ainda estimula a produção de serotonina, neurotransmissor responsável pela sensação de bem-estar.

A dermatologista Rafaela Bergman Correia, representante da Sociedade Brasileira de Dermatologia em Caxias do Sul, ajuda na melhor escolha do protetor solar e conta quais são as novidades do mercado. Confira:

Novidades

Nanotecnologia: o que há de mais moderno em ciência e tecnologia já cabe em pequenos frascos. Algumas fórmulas contêm substâncias que protegem o núcleo da célula contra o câncer e o envelhecimento. Alguns filtros são ricos em substâncias antioxidantes que ajudam a reorganizar o colágeno, amenizando as linhas de expressão e a flacidez.

Roupas com protetor solar: substâncias químicas especiais no tecido impedem a ação do sol na pele coberta pela roupa. Há camisetas, chapéus com abas largas, saídas de praia, luvas e roupas de banho para adultos e crianças. A proteção não sai com as lavagens. A grande vantagem é que onde a roupa cobre não há necessidade de usar o protetor solar tópico.

Fotoprotetores orais: fórmulas em cápsulas que protegem as células contra os raios nocivos e retardam o envelhecimento. As principais substâncias são licopeno, betacaroteno, vitamina E, luteina, pycnogenol e polypodium leucotomos. Os fotoprotetores orais não substituem o uso do protetor solar convencional. São produtos que, dependendo da prescrição, podem ser usados diariamente (em peles especiais, com tendência a envelhecimento precoce e câncer de pele) ou em períodos de maior exposição solar. Conformee a dose, há risco de a pele ficar amarelada. Há outras substâncias, como silício orgânico, vitaminas E e C e derivados de algas, que podem ser usadas de maneira prolongada. O ideal é buscar orientação médica.

Sabonete com protetor: indicado para pessoas que lavam muito as mãos ou dirigem muito. Porém, o fator de proteção solar é baixo. O ideal ainda é usar protetores convencionais ou luvas com protetores solares na composição do tecido.

Cor: linha de protetores com cor, com aspecto de base em pó e compacta, o que permite uma pele maquiada, protegida e natural.

Hidratação: filtros solares incorporados a hidratantes facilitam o dia a dia, deixando a pele macia e protegida ao mesmo tempo.

Gel: para pessoas de pele oleosa, as versões de protetores em gel são uma ótima alternativa.

Só para homens: protetores solares especiais para o sexo masculino contêm produtos em forma de espuma enriquecidos com vitamina C, que, ao mesmo tempo protegem, clareiam a pele e melhoram linhas de expressão.

A cada ano, a indústria oferece mais produtos para aproveitar o sol sem colocar a saúde em risco. É possível se proteger com roupas, maquiagem e cápsulas:

Arme sua defesa

Torne o uso diário de protetor solar um hábito. O produto deve ser passado 30 minutos antes da exposição. Passe protetor nas partes expostas, use chapéu ou boné, óculos escuros de boa qualidade, camisa de manga longa de tecidos leves e calça. Evite expor-se ao sol de 10h a 16h. Em caso de suor excessivo ou exposição prolongada, reaplique o filtro a cada duas horas.

Corre mais riscos quem...

tem histórico familiar de câncer de pele. tem pele e olhos claros e cabelos ruivos ou loiros. trabalha frequentemente exposto ao sol sem proteção adequada.

Casos suspeitos

Manchas que coçam, ardem, escamam ou sangram. Sinais ou pintas que mudam de tamanho, forma ou cor. Feridas que não cicatrizam em quatro semanas. Mudança na textura da pele ou dor.

Compre certo

Pessoas de pele clara ou ruivas devem usar filtro solar com fator de proteção no mínimo 30.

Pessoas de pele moreno-clara devem usar fatores entre 20 e 30.

Negros precisam escolher fator 15.

Crianças, independente do tom de pele, devem passar filtro 30.

Pessoas muito claras, com histórico de câncer de pele na família ou que se expõem muito ao sol devem ter cuidados especiais e, de preferência, acompanhamento médico.

Bronze seguro

Quem tem a pele branca, ruiva ou com muitas pintas está proibido de se bronzear. A exposição solar prolongada pode resultar em queimaduras, manchas, rugas e até câncer.

Autobronzeadores são a opção segura para pessoas de pele branca ou ruiva, que queimam, e não conseguem um bronze bonito no sol, porque têm pouca melanina, que é o que dá o tom do bronzeado. Ela é liberada pelo organismo como um mecanismo de defesa contra os raios.

Pessoas de pele moreno-clara, mulata ou negra, além de usar protetor, devem seguir algumas recomendações: não ficar horas torrando ao sol nem se expor entre 10h e 16h, começar com exposição lenta e gradual (15 minutos de frente e 15 minutos pelo dorso), consumir alimentos ricos em betacaroteno e licopeno (mamão, cenoura, bergamota, laranja, abóbora e tomate), caprichar nos cremes hidratantes e fazer esfoliação facial e corporal uma vez por semana.

Quanto protetor usar

Uma pessoa com 70 quilos e estatura mediana deve passar:

1 colher (chá) para rosto e pescoço 1 colher (sopa) para cada membro 1 colher (sopa) para tronco (frente e costas) 1 colher (sopa) para braços e pernas Não esqueça de passar nas orelhas, em cima dos pés e atrás dos joelhos. No total, uma pessoa deve usar 20ml de protetor solar por vez. Dicas para esportistas Use sempre protetor solar de fator alto, com resistência a água e suor e que não arda os olhos. Reaplique o protetor após suar, se molhar ou a cada duas horas. Use roupas especiais, com proteção solar, chapéus ou bonés com abas largas.

Para aproveitar o melhor do sol, todos os anos chegam ao mercado muitos reforços ao arsenal contra os raios UVA e UVB. Os mais recentes incluem desde maquiagem até roupas que impedem os efeitos nocivos.

Usar esses produtos regularmente protege de envelhecimento precoce, queimaduras, manchas e, principalmente, câncer. A cada ano, 100 mil novos casos de câncer de pele surgem no Brasil, e 80% deles poderiam ser prevenidos com o uso regular de protetor solar.

É importante lembrar que, em certa dose, o sol faz bem. Expor-se de 10 a 15 minutos ao dia, com protetor, faz bem aos ossos e defende de problemas do coração. O sol ainda estimula a produção de serotonina, neurotransmissor responsável pela sensação de bem-estar.

A dermatologista Rafaela Bergman Correia, representante da Sociedade Brasileira de Dermatologia em Caxias do Sul, ajuda na melhor escolha do protetor solar e conta quais são as novidades do mercado. Confira:

Novidades

Nanotecnologia: o que há de mais moderno em ciência e tecnologia já cabe em pequenos frascos. Algumas fórmulas contêm substâncias que protegem o núcleo da célula contra o câncer e o envelhecimento. Alguns filtros são ricos em substâncias antioxidantes que ajudam a reorganizar o colágeno, amenizando as linhas de expressão e a flacidez.

Roupas com protetor solar: substâncias químicas especiais no tecido impedem a ação do sol na pele coberta pela roupa. Há camisetas, chapéus com abas largas, saídas de praia, luvas e roupas de banho para adultos e crianças. A proteção não sai com as lavagens. A grande vantagem é que onde a roupa cobre não há necessidade de usar o protetor solar tópico.

Fotoprotetores orais: fórmulas em cápsulas que protegem as células contra os raios nocivos e retardam o envelhecimento. As principais substâncias são licopeno, betacaroteno, vitamina E, luteina, pycnogenol e polypodium leucotomos. Os fotoprotetores orais não substituem o uso do protetor solar convencional. São produtos que, dependendo da prescrição, podem ser usados diariamente (em peles especiais, com tendência a envelhecimento precoce e câncer de pele) ou em períodos de maior exposição solar. Conformee a dose, há risco de a pele ficar amarelada. Há outras substâncias, como silício orgânico, vitaminas E e C e derivados de algas, que podem ser usadas de maneira prolongada. O ideal é buscar orientação médica.

Sabonete com protetor: indicado para pessoas que lavam muito as mãos ou dirigem muito. Porém, o fator de proteção solar é baixo. O ideal ainda é usar protetores convencionais ou luvas com protetores solares na composição do tecido.

Cor: linha de protetores com cor, com aspecto de base em pó e compacta, o que permite uma pele maquiada, protegida e natural.

Hidratação: filtros solares incorporados a hidratantes facilitam o dia a dia, deixando a pele macia e protegida ao mesmo tempo.

Gel: para pessoas de pele oleosa, as versões de protetores em gel são uma ótima alternativa.

Só para homens: protetores solares especiais para o sexo masculino contêm produtos em forma de espuma enriquecidos com vitamina C, que, ao mesmo tempo protegem, clareiam a pele e melhoram linhas de expressão.

A cada ano, a indústria oferece mais produtos para aproveitar o sol sem colocar a saúde em risco. É possível se proteger com roupas, maquiagem e cápsulas:

Arme sua defesa

Torne o uso diário de protetor solar um hábito. O produto deve ser passado 30 minutos antes da exposição. Passe protetor nas partes expostas, use chapéu ou boné, óculos escuros de boa qualidade, camisa de manga longa de tecidos leves e calça. Evite expor-se ao sol de 10h a 16h. Em caso de suor excessivo ou exposição prolongada, reaplique o filtro a cada duas horas.

Corre mais riscos quem...

tem histórico familiar de câncer de pele. tem pele e olhos claros e cabelos ruivos ou loiros. trabalha frequentemente exposto ao sol sem proteção adequada.

Casos suspeitos

Manchas que coçam, ardem, escamam ou sangram. Sinais ou pintas que mudam de tamanho, forma ou cor. Feridas que não cicatrizam em quatro semanas. Mudança na textura da pele ou dor.

Compre certo

Pessoas de pele clara ou ruivas devem usar filtro solar com fator de proteção no mínimo 30.

Pessoas de pele moreno-clara devem usar fatores entre 20 e 30.

Negros precisam escolher fator 15.

Crianças, independente do tom de pele, devem passar filtro 30.

Pessoas muito claras, com histórico de câncer de pele na família ou que se expõem muito ao sol devem ter cuidados especiais e, de preferência, acompanhamento médico.

Bronze seguro

Quem tem a pele branca, ruiva ou com muitas pintas está proibido de se bronzear. A exposição solar prolongada pode resultar em queimaduras, manchas, rugas e até câncer.

Autobronzeadores são a opção segura para pessoas de pele branca ou ruiva, que queimam, e não conseguem um bronze bonito no sol, porque têm pouca melanina, que é o que dá o tom do bronzeado. Ela é liberada pelo organismo como um mecanismo de defesa contra os raios.

Pessoas de pele moreno-clara, mulata ou negra, além de usar protetor, devem seguir algumas recomendações: não ficar horas torrando ao sol nem se expor entre 10h e 16h, começar com exposição lenta e gradual (15 minutos de frente e 15 minutos pelo dorso), consumir alimentos ricos em betacaroteno e licopeno (mamão, cenoura, bergamota, laranja, abóbora e tomate), caprichar nos cremes hidratantes e fazer esfoliação facial e corporal uma vez por semana.

Quanto protetor usar

Uma pessoa com 70 quilos e estatura mediana deve passar:

1 colher (chá) para rosto e pescoço 1 colher (sopa) para cada membro 1 colher (sopa) para tronco (frente e costas) 1 colher (sopa) para braços e pernas Não esqueça de passar nas orelhas, em cima dos pés e atrás dos joelhos. No total, uma pessoa deve usar 20ml de protetor solar por vez. Dicas para esportistas Use sempre protetor solar de fator alto, com resistência a água e suor e que não arda os olhos. Reaplique o protetor após suar, se molhar ou a cada duas horas. Use roupas especiais, com proteção solar, chapéus ou bonés com abas largas.

Para aproveitar o melhor do sol, todos os anos chegam ao mercado muitos reforços ao arsenal contra os raios UVA e UVB. Os mais recentes incluem desde maquiagem até roupas que impedem os efeitos nocivos.

Usar esses produtos regularmente protege de envelhecimento precoce, queimaduras, manchas e, principalmente, câncer. A cada ano, 100 mil novos casos de câncer de pele surgem no Brasil, e 80% deles poderiam ser prevenidos com o uso regular de protetor solar.

É importante lembrar que, em certa dose, o sol faz bem. Expor-se de 10 a 15 minutos ao dia, com protetor, faz bem aos ossos e defende de problemas do coração. O sol ainda estimula a produção de serotonina, neurotransmissor responsável pela sensação de bem-estar.

A dermatologista Rafaela Bergman Correia, representante da Sociedade Brasileira de Dermatologia em Caxias do Sul, ajuda na melhor escolha do protetor solar e conta quais são as novidades do mercado. Confira:

Novidades

Nanotecnologia: o que há de mais moderno em ciência e tecnologia já cabe em pequenos frascos. Algumas fórmulas contêm substâncias que protegem o núcleo da célula contra o câncer e o envelhecimento. Alguns filtros são ricos em substâncias antioxidantes que ajudam a reorganizar o colágeno, amenizando as linhas de expressão e a flacidez.

Roupas com protetor solar: substâncias químicas especiais no tecido impedem a ação do sol na pele coberta pela roupa. Há camisetas, chapéus com abas largas, saídas de praia, luvas e roupas de banho para adultos e crianças. A proteção não sai com as lavagens. A grande vantagem é que onde a roupa cobre não há necessidade de usar o protetor solar tópico.

Fotoprotetores orais: fórmulas em cápsulas que protegem as células contra os raios nocivos e retardam o envelhecimento. As principais substâncias são licopeno, betacaroteno, vitamina E, luteina, pycnogenol e polypodium leucotomos. Os fotoprotetores orais não substituem o uso do protetor solar convencional. São produtos que, dependendo da prescrição, podem ser usados diariamente (em peles especiais, com tendência a envelhecimento precoce e câncer de pele) ou em períodos de maior exposição solar. Conformee a dose, há risco de a pele ficar amarelada. Há outras substâncias, como silício orgânico, vitaminas E e C e derivados de algas, que podem ser usadas de maneira prolongada. O ideal é buscar orientação médica.

Sabonete com protetor: indicado para pessoas que lavam muito as mãos ou dirigem muito. Porém, o fator de proteção solar é baixo. O ideal ainda é usar protetores convencionais ou luvas com protetores solares na composição do tecido.

Cor: linha de protetores com cor, com aspecto de base em pó e compacta, o que permite uma pele maquiada, protegida e natural.

Hidratação: filtros solares incorporados a hidratantes facilitam o dia a dia, deixando a pele macia e protegida ao mesmo tempo.

Gel: para pessoas de pele oleosa, as versões de protetores em gel são uma ótima alternativa.

Só para homens: protetores solares especiais para o sexo masculino contêm produtos em forma de espuma enriquecidos com vitamina C, que, ao mesmo tempo protegem, clareiam a pele e melhoram linhas de expressão.

A cada ano, a indústria oferece mais produtos para aproveitar o sol sem colocar a saúde em risco. É possível se proteger com roupas, maquiagem e cápsulas:

Arme sua defesa

Torne o uso diário de protetor solar um hábito. O produto deve ser passado 30 minutos antes da exposição. Passe protetor nas partes expostas, use chapéu ou boné, óculos escuros de boa qualidade, camisa de manga longa de tecidos leves e calça. Evite expor-se ao sol de 10h a 16h. Em caso de suor excessivo ou exposição prolongada, reaplique o filtro a cada duas horas.

Corre mais riscos quem...

tem histórico familiar de câncer de pele. tem pele e olhos claros e cabelos ruivos ou loiros. trabalha frequentemente exposto ao sol sem proteção adequada.

Casos suspeitos

Manchas que coçam, ardem, escamam ou sangram. Sinais ou pintas que mudam de tamanho, forma ou cor. Feridas que não cicatrizam em quatro semanas. Mudança na textura da pele ou dor.

Compre certo

Pessoas de pele clara ou ruivas devem usar filtro solar com fator de proteção no mínimo 30.

Pessoas de pele moreno-clara devem usar fatores entre 20 e 30.

Negros precisam escolher fator 15.

Crianças, independente do tom de pele, devem passar filtro 30.

Pessoas muito claras, com histórico de câncer de pele na família ou que se expõem muito ao sol devem ter cuidados especiais e, de preferência, acompanhamento médico.

Bronze seguro

Quem tem a pele branca, ruiva ou com muitas pintas está proibido de se bronzear. A exposição solar prolongada pode resultar em queimaduras, manchas, rugas e até câncer.

Autobronzeadores são a opção segura para pessoas de pele branca ou ruiva, que queimam, e não conseguem um bronze bonito no sol, porque têm pouca melanina, que é o que dá o tom do bronzeado. Ela é liberada pelo organismo como um mecanismo de defesa contra os raios.

Pessoas de pele moreno-clara, mulata ou negra, além de usar protetor, devem seguir algumas recomendações: não ficar horas torrando ao sol nem se expor entre 10h e 16h, começar com exposição lenta e gradual (15 minutos de frente e 15 minutos pelo dorso), consumir alimentos ricos em betacaroteno e licopeno (mamão, cenoura, bergamota, laranja, abóbora e tomate), caprichar nos cremes hidratantes e fazer esfoliação facial e corporal uma vez por semana.

Quanto protetor usar

Uma pessoa com 70 quilos e estatura mediana deve passar:

1 colher (chá) para rosto e pescoço 1 colher (sopa) para cada membro 1 colher (sopa) para tronco (frente e costas) 1 colher (sopa) para braços e pernas Não esqueça de passar nas orelhas, em cima dos pés e atrás dos joelhos. No total, uma pessoa deve usar 20ml de protetor solar por vez. Dicas para esportistas Use sempre protetor solar de fator alto, com resistência a água e suor e que não arda os olhos. Reaplique o protetor após suar, se molhar ou a cada duas horas. Use roupas especiais, com proteção solar, chapéus ou bonés com abas largas.

veja também