Confira as doenças de pele que diminuem e aumentam no verão

Confira as doenças de pele que diminuem e aumentam no verão

Atualizado: Quinta-feira, 21 Janeiro de 2010 as 12

No title O verão está chegando e isso significa a diminuição de algumas doenças de pele. Mas não adianta comemorar antecipadamente. Outras patologias dão o ar da (des)graça com mais intensidade nos dias quentes.

A micose é um das que teimam em incomodar. É causada por fungos, que encontram as condições ideais para se reproduzirem: umidade e calor. Os prevenidos devem enxugar-se bem após o banho e evitar permanecer com a roupa de praia molhada.

Pano branco

Entre as mais conhecidas está a pitiríase versicolor, também conhecida por micose de praia ou pano branco. A pessoa em contato com o fungo pode ou não desenvolver a doença. Os fatores responsáveis pelo desenvolvimento do fungo na pele, segundo o dermatologista Adriano Almeida, são o estado nutricional, aumento da multiplicação celular, gravidez, sudorese intensa, infecções crônicas, uso de óleos de banho e lubrificação excessiva da pele, além de predisposição genética.

Como o fungo impede o bronzeamento do local, a doença é percebida em geral após a exposição solar, porque as manchas - claras, que vão do branco ao castanho - ficam mais evidentes. Campus, cremes, loções e sprays de uso tópico estão entre os medicamentos, mas em alguns casos, é preciso o uso de compridos, sempre com orientação médica.

Transpiração

O suor é necessário para o controle da temperatura corporal. No entanto, transpirar excessivamente é um problema, que recebe o nome de hiperidrose e pode ser agravado com a temperatura alta. "Não há como prevenir, apenas tratar. Entre as alternativas estão aplicação de toxina botulínica, cirurgia para correção de hiperidrose e desodorantes específicos à base de alumínio", disse o dermatologista Reinaldo Tovo, do Hospital Sírio Libanês de São Paulo e professor da Universidade de Santo Amaro.

Brotoeja

A miliária, famosa brotoeja que povoa principalmente as crianças, surge quando o suor não consegue chegar à superfície da pele. O resultado são pequenas bolhas, que coçam e ficam vermelhas. Uma alternativa para afastá-las ou diminuí-las é buscar por ambientes frescos. Procure um médico com o intuito de seguir o tratamento adequado.

Os extremos de temperatura pioram a dermatite atópica, caracterizada por ressecamento e vermelhidão e que pode ser notada logo nos primeiros anos de vida. "Não tem como prevenir, porque é característica da pele. O dermatologista pode indicar medicamentos ou cremes."

Adeus

As patologias inflamatórias, como dermatite seborreica (caspa) e a psoríase, por sua vez, ganham um alívio com os dias ensolarados. "O sol funciona como um anti-inflamatório para a pele, mas a exposição deve ser sem excessos e com filtro", afirmou.

O ressecamento anormal da pele de alguns idosos e crianças, chamado de xerose, diminui por conta da umidade característica do verão.

Por Patricia Zwipp

veja também