Conheça as dores que não devem ser ignoradas

Conheça as dores que não devem ser ignoradas

Atualizado: Quinta-feira, 25 Outubro de 2012 as 10:58

 

iceberg ponta geloSão raras as casas, escritórios, empresas, que não tenham aquela bolsinha de remédios para automedicação. São raros os casos de pessoas que nunca foram até essas bolsinhas e escolheram, aleatoriamente, remédios para curar o que os estava incomodando.

E assim vai, nós nos automedicamos, achamos que a tal dor ou desconforto vão passar, até que chega uma hora que você não agüenta mais e precisa ir ao médico. Pesquisas indicam que mais de 64% dos brasileiros tentam livrar da sensação dolorosa sem procurar ajuda.

Você sabia que não ir ao médico é negligenciar com a própria saúde? Foi o que aconteceu com a Antônia Sueli Ferreira, 45 anos, de São Paulo. "Tomei muito remédio durante três meses por causa de cólicas fortíssimas e do que parecia ser uma lombalgia. Só depois fui ao médico. E então descobri que tinha um câncer colorretal. Tive de ser submetida às pressas a uma cirurgia. Por sorte, estou bem", conta.

Segundo médicos e especialistas, a dor é um sistema de proteção que avisa quando algo nocivo está acontecendo. Na dúvida toda dor deve ser checada, ainda mais as que você nunca sentiu.

Saiba quais as dores que você não deve ignorar:

Dor de cabeça

Na maioria das vezes pode ser causada por alterações na visão, ou nos hormônios (mais comum entre as mulheres). Esses são justamente os casos que devemos nos atentar. Acima dos 50 anos, as dores de cabeça devem ser avaliadas com mais atenção pois podem estar relacionadas à hipertensão.

Dor de garganta

Costuma ser causada por amigdalite de origem bacteriana ou viral. Caso não seja tratada a bacteriana pode até exigir cirurgia. A amigdalite do tipo viral baixa a imunidade e, em 10% dos casos, vira bacteriana. Abra os olhos! Certos tumores no pescoço também incomodam e podem ser confundidos.

Dor no peito

"Quando o coração padece, a dor é capaz de se espalhar na direção do estômago, do maxilar inferior, das costas e dos braços", descreve o cardiologista Paulo Bezerra. Em geral, isso acontece quando o músculo cardíaco recebe menos sangue devido a um entupimento das artérias. "A sensação no peito é como a de um dedo apertado por um elástico. E piora com o estresse e o esforço físico", explica Bezerra. Não dá para marcar bobeira em casos assim: o rápido diagnóstico pode salvar a vida.

Dor no corpo

Sentir-se moído, cansado, dê atenção às suas emoções. A depressão, por exemplo, não rara desencadeia um mal-estar que vai da cabeça aos pés. Poucas pessoas sabem, mas a depressão é uma doença perigosa e precisa de tratamento, não deixe de procurar seu médico!

Ajude o médico a descobrir a verdadeira causa de seus “ais”. Leve as seguintes informações para a consulta:

Quando

Puxe pela memória o dia, semana ou mês em que sua dor deu as caras e identifique a frequência com que ela aparece — se é diária, quantas vezes por dia se manifesta e quanto tempo costuma durar.

Onde

Aponte os lugares do corpo em que a dor ocorre. Se for difícil especificar um ponto, mostre a região afetada. Explique também se ela começa em um lugar e, dali, se irradia para outros.

Como

Descreva a sensação — queima? Dá pontadas ou agulhadas? Formigamento? No lugar onde dói, você sente um aperto ou pressão? Acredite: para os ouvidos dos especialistas, esse tipo de informação vale ouro.

Avaliação

Dê uma nota de 1 a 10 à sua dor, comparando-a a outras que você já sentiu. Avalie o grau e não deixe de contar ao especialista se teve febre, perda de apetite ou falta de sono depois que a dor apareceu.

Soluções

O que fez para diminuir a dor? Relate se uma bolsa de água quente ajudou. E preste atenção no seu corpo para dizer o que parece piorar a sensação dolorosa — comida gordurosa, esforço físico... o quê?

Com informações de Abril 

veja também