Conheça quais as frutas exóticas que turbinam a saúde

Frutas exóticas para a saúde

Atualizado: Quinta-feira, 28 Fevereiro de 2013 as 9:39

 

Diariamente, nosso corpo pede substâncias extraídas de frutas e legumes, para nos manter com saúde. Frutas ricas em antioxidantes, que traz excelentes resultados para pele, sistema imunológico e cérebro, podemos encontrá-lo nas mais exóticas.
 
Para descobrir novos sabores e adquirir nutrientes que nosso corpo precisa, vamos conhecer cada uma delas.
 
Cambuci
Encontrada principalmente no estado de São Paulo, é pequena, com polpa bem fibrosa e poucas sementes. Como a maioria das frutas ácidas, é rica em vitaminas A e C. Versátil, pode virar sorvete, suco, geleia, doce em calda e também aromatizar bebidas alcoólicas, como licores e cachaças.
 
Buriti-miriti
Da sua polpa é possível fazer bebidas e mingau. É rica em vitamina A, cálcio, fósforo e ácidos graxos que combatem o envelhecimento. Fica uma delícia também em forma de sorvete, doce, creme e licor.
 
Camu-camu
Dentre os frutos pouco conhecidos, o camu-camu é um dos mais poderosos. Típico da Amazônia, ele tem o maior teor de vitamina C do mundo entre as frutas. Já é exportado para o Japão, entre outros países. É considerado um bom tira-gosto e isca para peixe. 
 
Pitaia
Conhecida como fruta-do-dragão, é nativa da América do Sul. Sua polpa, gelatinosa, protege a mucosa gástrica. Ela também é rica em vitaminas A e C. Mas não deve ser consumida em grande quantidade, pois as sementes - não são removíveis - têm poder laxativo. Adocicada, vai bem como suco e geleia. 
 
Kino
Por fora, tem aspecto espinhoso. Por dentro, textura que lembra o maracujá tradicional. É rico em vitamina C, importante para o sistema imunológico, mas o ponto alto está relacionado à obesidade: por conter muita fibra, há estudos que indicam o uso para redução de apetite. O sabor é agridoce.
Cherimoia
Parecida com a fruta-do-conde, tem polpa cremosa e doce e sementes escuras, que não devem ser ingeridas. O sabor lembra uma mistura de banana, abacaxi, mamão, pêssego e morango - o tutti frutti clássico. Essa fruta encontrada em países sul-americanos fornece vitamina A e muitas fibras. 
 
Granadilho
Típica da América do Sul, equivale a um coquetel do bem: contém vitamina A; fitoquímicos, que agem na redução do colesterol; e uma quantidade significativa de fibras solúveis, importantes no controle do diabetes. Embora tenha pouca polpa, as sementes são comestíveis. 
 
Abiu
De origem amazônica, ela é rica em vitamina A, cálcio e fósforo. A polpa, bem carnuda, tem sabor doce com fundo azedinho. É consumida somente in natura. Vale observar que, entre a casca e a polpa, há um látex que não deve ser ingerido. Do caroço, extrai-se um óleo com anti-inflamatório. 
 
Longan
De origem asiática, lembra a lichia na aparência e na textura. O sabor, no entanto, é mais parecido com o do melão. O barato dessa fruta é ser rica em ferro e vitamina C, o que a torna eficaz contra a anemia. Como a vitamina C turbina a absorção do ferro pelo organismo, a longan vale por duas! Pode ser apreciada in natura e como suco. 
 
Tamarillo
Fruta tropical nativa dos Andes, lembra um tomate, o que a faz ser conhecida também como tomate japonês ou tomate de árvore. Com sabor agridoce, pode ser consumida in natura, em sucos, geleias e até em molho chutney para carnes. É rica em vitamina A e contém fitoesteróis, poderosos no controle do colesterol.
 
 
Com informações de: M de Mulher

veja também