Conhecendo a depressão

Conhecendo a depressão

Atualizado: Quarta-feira, 2 Julho de 2008 as 12

Segundo a Organização Mundial de Saúde, a depressão afeta cerca de 121 milhões de pessoas em todo mundo e apenas 30% dos casos recebem tratamento adequado. Uma das maiores preocupações é o fato de que a cada 100 pessoas com depressão, 15 cometem suicídio. "A doença é mais comum do que se imagina e pode, até mesmo, levar ao afastamento do trabalho", afirma a psicóloga da Clínica Contato, Tânia Evelise Eichholz.

Muitas pessoas tendem a ignorar os sintomas e achar que é preguiça ou algo semelhante, pois a pessoa que desenvolve a depressão passa a ficar sem ânimo, dorme bastante, fica mais sensível, com emoções à flor da pele. "Quando a pessoa começa a apresentar queixas constantes, ficar sem vida ativa, procurar isolamento a ponto de não querer sair de casa, é necessário ficar alerta, pois podem ser sintomas de depressão", aponta a psicóloga.

A depressão não se instala do dia para a noite, mas é a somatória de diversas situações. O seu aparecimento normalmente está relacionado a fortes impactos vividos, como perdas, lutos, doenças, conflitos de relacionamento, dificuldades financeiras e outras situações que acabam desequilibrando a pessoa. "Assim como existem várias causas, existem também alguns tipos de depressão como depressão sazonal, atípica, típica, maior e crônica. Além delas, podemos citar também a depressão pós-parto, depressão na infância, na menopausa e na terceira idade", enumera.

Independente da classificação, a depressão exige cuidados médicos, assim que for reconhecida. A OMS afirma que 60 a 80% dos casos podem ser tratados em atendimento primário, com medicação e psicoterapia. Quando feito logo, esse tratamento garante ao paciente um aumento significativo da qualidade de vida. "Com assistência médica, psicológica e em conjunto com a família, todos conseguirão um resultado eficaz", salienta Tânia Evelise.

Postado por: Claudia Moraes

veja também