Cuidados com a higiene bucal começam antes da primeira dentição

Cuidados com a higiene bucal começam antes da primeira dentição

Atualizado: Segunda-feira, 28 Fevereiro de 2011 as 8:46

É o que explica Vivian Farfel, especialista em Odontopediatria, Ortodontia e Ortopedia Facial pela Faculdade de Odontologia da Universidade de São Paulo (USP). A dentista respondeu a várias questões sobre esse assunto. Leia abaixo:

1. A partir de qual idade média os primeiros dentes começam a nascer?

A idade normal para o nascimento dos dentes é por volta de seis meses de idade. Os incisivos centrais inferiores são os primeiros a aparecerem. Um atraso, em torno de seis meses, pode ser considerado normal. São raros os casos nos quais os dentes de leite nascem antes do prazo médio mencionado, por volta de dois a três meses de idade, ou imediatamente após o nascimento. Nessas situações, é indicado procurar o odontopediatra para uma avaliação. Na maioria das vezes, a dentição se completa por volta dos 2 ou 3 anos de idade.

2. Como devem ser os cuidados com a higiene bucal do bebê antes da erupção dos primeiros dentes?

Os cuidados com a higiene bucal devem começar a partir do nascimento do bebê. No recém-nascido, a limpeza deve ser feita com uma gaze ou fralda umedecida em água filtrada ou fervida para remover os resíduos de leite. Com o nascimento do primeiro dente, a fralda deve ser substituída por uma escova macia de cabeça pequena, adequada à faixa etária da criança. A mãe deve escovar os dentes existentes com uma pequena quantidade (semelhante a um grão de ervilha) de creme dental sem flúor. O flúor é um medicamento e, quando ingerido, pode causar a fluorose, que se manifesta por manchas nos dentes permanentes em formação.

3. Quais os sintomas que o bebê pode sentir durante a erupção dos primeiros dentes e por quê?

O nascimento dos primeiros dentes é uma ocorrência natural e, como mencionei, não provoca dor nem sangramento. Mas o bebê pode ter alguns sintomas como: aumento de salivação devido à maturação das glândulas salivares e à dificuldade que ele tem de engolir a saliva produzida; diarreia, em consequência do distúrbio gastrointestinal causado pela contaminação por meio de objetos levados à boca e pela sucção dos dedos, principalmente em condições de higiene inadequadas; febre baixa e passageira, provocada por substâncias que regulam a temperatura corpórea, liberadas durante o irrompimento da gengiva; gengivas inchadas e irritação local provocada pela presença de dentes. O bebê também pode ficar agitado e irritadiço, podendo até perder o apetite e o sono habitual.

4. Existe alguma maneira de ajudar a erupção dos primeiros dentes?

Para aliviar o desconforto, os pais devem oferecer ao bebê alimentos mais duros, como pedaços de cenoura ou talos de vegetais crus que ajudam na erupção dos dentes.

Alimentos ou bebidas quentes que aumentam a sensação de irritação devem ser evitados. Outra maneira de aliviar o desconforto do bebê é massagear suavemente a gengiva. Para isso, envolva o dedo com uma gaze umedecida em água filtrada ou soro fisiológico e faça movimentos suaves sobre a região.

Os pais também podem oferecer ao bebê, mordedores de silicone, que contêm um gel no seu interior e que devem ser mantidos na porta da geladeira. A temperatura baixa promove um efeito levemente anestésico e alivia a irritação da gengiva. Se, eventualmente, a irritação for muito grande, deve-se consultar um odontopediatra para outras instruções. Nunca se deve aplicar algum tipo de pomada por conta própria, porque os sintomas causados pelo nascimento dos primeiros dentes são naturais e não há necessidade de medicação.

5. Quais objetos são melhores para aliviar o desconforto ou a coceira – os confeccionados com silicone ou com látex? Como higienizar esses objetos?

O silicone é o material ideal, por ser mais higiênico que o látex e menos sujeito ao mofo. Para evitar a infecção pelos fungos e bactérias, o ideal é que os mordedores de silicone escolhidos tenham as bordas livres de saliências. A higienização deve ser feita com uma escova de cerdas macias, água quente e sabão neutro, e enxaguar bem para não deixar nenhum resíduo sobre sua superfície. Antes de cada uso, é necessário esterilizá-los com água fervente em uma panela apropriada, na qual os mordedores devem ficar totalmente submersos durante a fervura, que não deve ultrapassar cinco minutos, a fim de se evitar que os mordedores fiquem pegajosos, porosos e, até mesmo, deteriorados. Outra opção é a esterilização a vapor, no forno de micro-ondas, que faz que as elevadas temperaturas eliminem as bactérias

Em caso de mordedores de borracha, a fervura durante a esterilização pode danificar o látex, alterando seu formato e consistência. Por essa razão, a troca dos mordedores confeccionados com este material deve ocorrer com frequência maior.

veja também