De frutos do mar a pães, conheça alimentos que ajudam o cérebro

De frutos do mar a pães, conheça alimentos que ajudam o cérebro

Atualizado: Sexta-feira, 11 Novembro de 2011 as 8:11

Sonhos, projetos e lembranças. Todos eles têm algo em comum: o local onde estão armazenados, o nosso cérebro. Mas você tem dado atenção para o principal órgão do sistema nervoso? Se você precisa contar com o seu cérebro diariamente (e quem não precisa?) para trabalhar bem, saiba que existem maneiras de nutrir os neurônios e garantir sua performance.

Para a nutricionista Adelle Bittencourt, o cérebro pode ser comparado a um motor que precisa de óleo para funcionar. “Mas, no caso do órgão, esse elemento é a glicose”, diz. Para que a glicose seja assimilada, o cérebro precisa de oxigênio. Apesar de representar cerca de 2% do peso total do corpo, ele consome 20% do oxigênio que respiramos. “E para alcançar essa porcentagem, o cérebro se alimenta de um elemento em especial, o ferro”, explica. O ferro é encontrado em carnes, feijão, vegetais de folhas escuras e cereais.

Para manter a saúde desse órgão tão precioso, a indicação da nutricionista é se basear sempre em duas categorias de alimentos: os que fabricam energia e os que asseguram a estrutura cerebral. “Os alimentos energéticos contêm açúcares complexos, ou seja, glicose. Já os que asseguram a estrutura do cérebro são responsáveis pela qualidade da informação transmitida pelos neurônios”.

Segundo Adelle, depois dos tecidos adiposos, o cérebro é o órgão com mais gordura do corpo humano. Por isso, todo tipo de gordura “boa” exerce um papel importante para o seu funcionamento. “Ácidos graxos como o ômega-3 são componentes da membrana externa das células cerebrais. E são elas que permitem o trânsito de informações dos neurônios”, conta a nutricionista. O ômega-3 pode ser encontrado em peixes como salmão, atum, bacalhau, arenque, cavalinha, sardinha, truta e oleaginosas como nozes, azeite e linhaça.

Produtos derivados do leite também têm sua função para manter a estrutura cerebral e permitir a troca de informações neuronais. “Proteínas de qualidade devem ser ingeridas em todas as refeições”, fala Adelle. Ela explica ainda que com o passar dos anos a atividade cerebral muda e se torna mais lenta. Por isso, a escolha de alimentos de qualidade é importante para manter o bom funcionamento dessa poderosa máquina. Você também encontra boas proteínas em frutos do mar, ovos e todos os tipos de carne.

veja também