Depressão e doenças cardíacas

Depressão e doenças cardíacas

Atualizado: Quarta-feira, 10 Agosto de 2011 as 8:11

A depressão é uma doença cada vez mais presente na sociedade. Segundo dados do Ministério da Saúde, as mulheres são as principais vítimas deste mal. Hoje, de acordo com o órgão, uma em cada quatro mulheres sofrem com a depressão, enquanto entre os homens, este índice atinge, no máximo, a marca de 12%.

Sintomas como tristeza prolongada sem causa específica e desinteresse por atividades antes prazerosas são bastante conhecidos, mas as mudanças fisiológicas causadas pela doença ainda são pouco difundidas. Uma das mais importantes é o maior risco de infarto e outras doenças cardíacas em pacientes depressivos.

De acordo com o Dr. Expedito Ribeiro da Silva, cardiologista do Hospital TotalCor, a depressão pode comprometer o funcionamento dos sistemas imunológico e neuroendocrinológico. “Pacientes com este tipo de distúrbio registram mais frequentemente alterações como o aumento da pressão arterial, colesterol e triglicérides na corrente sanguínea”, explica o especialista. De acordo com pesquisa recente divulgada no jornal da Associação Médica Norte-Americana, a depressão afeta uma a cada cinco pessoas que sofreram infarto e pode aumentar em até 50% a mortalidade deste tipo de paciente.

veja também