Depressão pós-parto afeta uma em cada 8 gestantes

Depressão pós-parto afeta uma em cada 8 gestantes

Atualizado: Quinta-feira, 7 Outubro de 2010 as 9:34

Aproximadamente uma em cada 8 mulheres sofre de depressão pós-parto (DPP).É a complicação psiquiátrica mais comum entre as mulheres que tiveram um bebê.

A DPP é uma condição médica potencialmente grave.Não é uma doença que a mulher possa controlar.A DPP pode acarretar riscos significativos tanto para a mãe quanto para o seu bebê.As coisas mais importantes a fazer são:

Reconhecer os sinais da DPP - veja abaixo. Pedir ajuda a um profissional especializado, como um psiquiatra, pois existe uma gama de tratamentos atualmente estão disponíveis.

Alterações hormonais da mulher no período pós-parto, provavelmente, são a principal causa da DPP.As mulheres que apresentaram depressão anteriormente ao período gestacional apresentam um risco aumentado para desenvolver DPP.

O que é depressão pós-parto (DPP)?

Uma mulher que sofre de DPP sente-se triste, com baixa autoestima ou deprimida.Ela também tem cinco ou mais dos seguintes sintomas abaixo, com uma duração mínima de 2 semanas :

Humor deprimido. Demonstra pouco interesse em suas atividades habituais ou de lazer -anedonia. Sente-se cansada o tempo todo. Sofre de alterações do apetite e peso. Sofre de insônia ou sonolência excessiva. Sofre de irritabilidade excessiva. Apresenta dificuldades em se concentrar ou tomar decisões. Apresenta pensamento recorrentes de suicídio ou morte.

A DPP pode começar a qualquer momento dentro dos primeiros três meses após o parto.Ela pode ameaçar seriamente a mulher e seu bebê.Desde que a mãe esteja gravemente doente, ela pode não ser capaz de cuidar do seu bebê.A doença pode tornar difícil para a mãe amamentar ou estabelecer algum vínculo com o recém-nascido.Por estas razões, a DPP é uma ameaça para os recém-nascidos.

Tratamentos

A DPP pode ser tratada de várias maneiras.Grupos de apoio podem ajudar.Algumas mulheres vão para necessitar de sessões de terapia ou recebem aconselhamento através de um profissional de saúde mental.Este profissional pode falar com a mulher sobre os riscos e benefícios dos medicamentos antidepressivos.

Existem alguns antidepressivos que são mais utilizados para o tratamento da DPP - inibidores seletivos da recaptação da serotonina.Como muitos medicamentos, os antidepressivos podem ter efeitos secundários.Como nenhum medicamento provou ser totalmente seguro, a mulher e sua equipe de saúde devem avaliar riscos e benefícios.

O leite materno é o melhor alimento para o bebê durante o primeiro ano de vida.Se uma mulher estiver tomando um antidepressivo, alguns destes irão se concentrar em seu leite materno.Por esta razão, os profissionais da saúde deverão dar à mulher que está amamentando a menor dose possível, afim de aliviar os seus sintomas.Neste aspecto, um antidepressivo chamado de Sertralina parece ser o mais seguro.

Aproximadamente uma em cada 8 mulheres sofre de depressão pós-parto (DPP).É a complicação psiquiátrica mais comum entre as mulheres que tiveram um bebê.

A DPP é uma condição médica potencialmente grave.Não é uma doença que a mulher possa controlar.A DPP pode acarretar riscos significativos tanto para a mãe quanto para o seu bebê.As coisas mais importantes a fazer são:

Reconhecer os sinais da DPP - veja abaixo. Pedir ajuda a um profissional especializado, como um psiquiatra, pois existe uma gama de tratamentos atualmente estão disponíveis.

Alterações hormonais da mulher no período pós-parto, provavelmente, são a principal causa da DPP.As mulheres que apresentaram depressão anteriormente ao período gestacional apresentam um risco aumentado para desenvolver DPP.

O que é depressão pós-parto (DPP)?

Uma mulher que sofre de DPP sente-se triste, com baixa autoestima ou deprimida.Ela também tem cinco ou mais dos seguintes sintomas abaixo, com uma duração mínima de 2 semanas :

Humor deprimido. Demonstra pouco interesse em suas atividades habituais ou de lazer -anedonia. Sente-se cansada o tempo todo. Sofre de alterações do apetite e peso. Sofre de insônia ou sonolência excessiva. Sofre de irritabilidade excessiva. Apresenta dificuldades em se concentrar ou tomar decisões. Apresenta pensamento recorrentes de suicídio ou morte.

A DPP pode começar a qualquer momento dentro dos primeiros três meses após o parto.Ela pode ameaçar seriamente a mulher e seu bebê.Desde que a mãe esteja gravemente doente, ela pode não ser capaz de cuidar do seu bebê.A doença pode tornar difícil para a mãe amamentar ou estabelecer algum vínculo com o recém-nascido.Por estas razões, a DPP é uma ameaça para os recém-nascidos.

Tratamentos

A DPP pode ser tratada de várias maneiras.Grupos de apoio podem ajudar.Algumas mulheres vão para necessitar de sessões de terapia ou recebem aconselhamento através de um profissional de saúde mental.Este profissional pode falar com a mulher sobre os riscos e benefícios dos medicamentos antidepressivos.

Existem alguns antidepressivos que são mais utilizados para o tratamento da DPP - inibidores seletivos da recaptação da serotonina.Como muitos medicamentos, os antidepressivos podem ter efeitos secundários.Como nenhum medicamento provou ser totalmente seguro, a mulher e sua equipe de saúde devem avaliar riscos e benefícios.

O leite materno é o melhor alimento para o bebê durante o primeiro ano de vida.Se uma mulher estiver tomando um antidepressivo, alguns destes irão se concentrar em seu leite materno.Por esta razão, os profissionais da saúde deverão dar à mulher que está amamentando a menor dose possível, afim de aliviar os seus sintomas.Neste aspecto, um antidepressivo chamado de Sertralina parece ser o mais seguro.

Aproximadamente uma em cada 8 mulheres sofre de depressão pós-parto (DPP).É a complicação psiquiátrica mais comum entre as mulheres que tiveram um bebê.

A DPP é uma condição médica potencialmente grave.Não é uma doença que a mulher possa controlar.A DPP pode acarretar riscos significativos tanto para a mãe quanto para o seu bebê.As coisas mais importantes a fazer são:

Reconhecer os sinais da DPP - veja abaixo. Pedir ajuda a um profissional especializado, como um psiquiatra, pois existe uma gama de tratamentos atualmente estão disponíveis.

Alterações hormonais da mulher no período pós-parto, provavelmente, são a principal causa da DPP.As mulheres que apresentaram depressão anteriormente ao período gestacional apresentam um risco aumentado para desenvolver DPP.

O que é depressão pós-parto (DPP)?

Uma mulher que sofre de DPP sente-se triste, com baixa autoestima ou deprimida.Ela também tem cinco ou mais dos seguintes sintomas abaixo, com uma duração mínima de 2 semanas :

Humor deprimido. Demonstra pouco interesse em suas atividades habituais ou de lazer -anedonia. Sente-se cansada o tempo todo. Sofre de alterações do apetite e peso. Sofre de insônia ou sonolência excessiva. Sofre de irritabilidade excessiva. Apresenta dificuldades em se concentrar ou tomar decisões. Apresenta pensamento recorrentes de suicídio ou morte.

A DPP pode começar a qualquer momento dentro dos primeiros três meses após o parto.Ela pode ameaçar seriamente a mulher e seu bebê.Desde que a mãe esteja gravemente doente, ela pode não ser capaz de cuidar do seu bebê.A doença pode tornar difícil para a mãe amamentar ou estabelecer algum vínculo com o recém-nascido.Por estas razões, a DPP é uma ameaça para os recém-nascidos.

Tratamentos

A DPP pode ser tratada de várias maneiras.Grupos de apoio podem ajudar.Algumas mulheres vão para necessitar de sessões de terapia ou recebem aconselhamento através de um profissional de saúde mental.Este profissional pode falar com a mulher sobre os riscos e benefícios dos medicamentos antidepressivos.

Existem alguns antidepressivos que são mais utilizados para o tratamento da DPP - inibidores seletivos da recaptação da serotonina.Como muitos medicamentos, os antidepressivos podem ter efeitos secundários.Como nenhum medicamento provou ser totalmente seguro, a mulher e sua equipe de saúde devem avaliar riscos e benefícios.

O leite materno é o melhor alimento para o bebê durante o primeiro ano de vida.Se uma mulher estiver tomando um antidepressivo, alguns destes irão se concentrar em seu leite materno.Por esta razão, os profissionais da saúde deverão dar à mulher que está amamentando a menor dose possível, afim de aliviar os seus sintomas.Neste aspecto, um antidepressivo chamado de Sertralina parece ser o mais seguro.

Aproximadamente uma em cada 8 mulheres sofre de depressão pós-parto (DPP).É a complicação psiquiátrica mais comum entre as mulheres que tiveram um bebê.

A DPP é uma condição médica potencialmente grave.Não é uma doença que a mulher possa controlar.A DPP pode acarretar riscos significativos tanto para a mãe quanto para o seu bebê.As coisas mais importantes a fazer são:

Reconhecer os sinais da DPP - veja abaixo. Pedir ajuda a um profissional especializado, como um psiquiatra, pois existe uma gama de tratamentos atualmente estão disponíveis.

Alterações hormonais da mulher no período pós-parto, provavelmente, são a principal causa da DPP.As mulheres que apresentaram depressão anteriormente ao período gestacional apresentam um risco aumentado para desenvolver DPP.

O que é depressão pós-parto (DPP)?

Uma mulher que sofre de DPP sente-se triste, com baixa autoestima ou deprimida.Ela também tem cinco ou mais dos seguintes sintomas abaixo, com uma duração mínima de 2 semanas :

Humor deprimido. Demonstra pouco interesse em suas atividades habituais ou de lazer -anedonia. Sente-se cansada o tempo todo. Sofre de alterações do apetite e peso. Sofre de insônia ou sonolência excessiva. Sofre de irritabilidade excessiva. Apresenta dificuldades em se concentrar ou tomar decisões. Apresenta pensamento recorrentes de suicídio ou morte.

A DPP pode começar a qualquer momento dentro dos primeiros três meses após o parto.Ela pode ameaçar seriamente a mulher e seu bebê.Desde que a mãe esteja gravemente doente, ela pode não ser capaz de cuidar do seu bebê.A doença pode tornar difícil para a mãe amamentar ou estabelecer algum vínculo com o recém-nascido.Por estas razões, a DPP é uma ameaça para os recém-nascidos.

Tratamentos

A DPP pode ser tratada de várias maneiras.Grupos de apoio podem ajudar.Algumas mulheres vão para necessitar de sessões de terapia ou recebem aconselhamento através de um profissional de saúde mental.Este profissional pode falar com a mulher sobre os riscos e benefícios dos medicamentos antidepressivos.

Existem alguns antidepressivos que são mais utilizados para o tratamento da DPP - inibidores seletivos da recaptação da serotonina.Como muitos medicamentos, os antidepressivos podem ter efeitos secundários.Como nenhum medicamento provou ser totalmente seguro, a mulher e sua equipe de saúde devem avaliar riscos e benefícios.

O leite materno é o melhor alimento para o bebê durante o primeiro ano de vida.Se uma mulher estiver tomando um antidepressivo, alguns destes irão se concentrar em seu leite materno.Por esta razão, os profissionais da saúde deverão dar à mulher que está amamentando a menor dose possível, afim de aliviar os seus sintomas.Neste aspecto, um antidepressivo chamado de Sertralina parece ser o mais seguro.

veja também