Descubra por que os gagos cantam sem tropeçar

Descubra por que os gagos cantam sem tropeçar

Atualizado: Segunda-feira, 25 Janeiro de 2010 as 12

No title Você já deve ter se indagado por que alguns gagos podem cantar perfeitamente. A resposta é simples: a fala e o canto percorrem caminhos totalmente diferentes em nosso cérebro. "A gagueira altera o tempo de processamento dos sons da fala. No canto, a curva melódica já está feita. O cérebro não produz fala, ele repete coisas", explica Cláudia Furquim Andrade, fonoaudióloga da Faculdade de Medicina da USP.

No Brasil cerca de 2 milhões sofrem de gagueira crônica, de acordo com o IBF - Instituto Brasileiro de Fluência. A gagueira é involuntária. Cientificamente é considerada como distúrbio ou transtorno de fluência da fala. O problema central na gagueira consiste em uma dificuldade do cérebro para sinalizar o término de um som ou uma sílaba e passar para o próximo. Geralmente a gagueira surge por tendência genética, por imaturidade cerebral ou prematuridade.

O IBF difunde conhecimentos sobre a fluência e seus distúrbios, principalmente a gagueira. Lá eles fazem diversos testes para dar o diagnóstico do paciente, que é acompanhado por um fonoaudiólogo. A causa da gagueira não é a mesma para todos, explicou a presidente do IBF, Ignês Maia Ribeiro. "Nem todo gago consegue cantar sem dificuldade, por exemplo. Dependendo da pessoa trabalhamos técnicas que variam entre suavização da fala, soltura, relaxamento, ritmo, entonação, articulação, respiração, etc", disse.

O bibliotecário Roberto Tadeu, 39 anos, é apaixonado por música. O fato de ter dificuldade com a fala não o impediu de cantar o estilo sacro por alguns anos em um coral. "As pessoas estranham, perguntam por que posso cantar", afirmou. Roberto faz seminários inclusive sobre assuntos relacionados a sua área de trabalho. As técnicas adquiridas o possibilitam a realizar tal tarefa. "Tem gente que estranha, mas isso é problema meu. As pessoas devem querer adquirir o conteúdo e não observar a maneira como falo", disse.

Saulo Roston fez de seu problema seu maior triunfo. Gago, ele venceu a última edição do programa Ídolos, da TV Record, e hoje grava seu primeiro CD, que fica pronto no final de fevereiro, pela Warner. Saulosempre cantou, mas nunca teve a credibilidade dos amigos e colegas. "O povo falava: você é gago, vai cantar como? E na hora de conversar com o público?", disse.

O cantor afirma que a deficiência na fala nunca o atrapalhou. Pelo contrário. O destacava, chamava a atenção das pessoas, e quando viam que ele estava confortável com isso, o admiravam. "Uma vez na escola, eles precisavam de alguém para interpretar o Romeu no teatro. Ninguém queria o papel. Eu fiquei quieto. Sabia que não seria escolhido por ser gago. Quando eu percebia que usava o fato de ser gago como desculpa para não enfrentar algo, aí é que eu fazia. "Agora você vai, seu gago. Por outro motivo, tudo bem, por este não", dizia para mim mesmo.

O novo ídolo do Brasil garante que sua vida amorosa sempre esteve em alta. "Elas achavam que eu estava nervoso por causa delas. Achavam bonitinho. E quando eu falo baixinho ao pé do ouvido, eu não gaguejo".

Saulo diz dar risada de seu próprio problema. "Todo mundo tem dificuldades, só que a nossa é aparente, não dá para esconder. Use isso a seu favor. Saia de casa, fique em contato com pessoas, no trabalho, etc. As barreiras somos nós que colocamos. É só tirá-las."

A gagueira crônica não tem cura. Os tratamentos disponíveis promovem uma diminuição significativa do problema, mas podem permanecer alguns resquícios, mesmo que sutis. "É imprescindível o tratamento com um profissional especializado, que domine as técnicas e o tema", afirmou Ignês Maia Ribeiro.

Por Andressa Tufolo

Foto: Saulo Roston afirma que a gagueira o ajudou a se destacar

veja também