Dia Nacional de Combate ao Câncer alerta sobre necessidade da prevenção e do tratamento

Dia Nacional de Combate ao Câncer alerta sobre necessidade da prevenção e do tratamento

Atualizado: Sexta-feira, 27 Novembro de 2009 as 12

Nesta sexta-feira, dia 27, comemora-se o Dia Nacional de Combate ao Câncer. A data, criada em 1988, tem o objetivo de alertar a população sobre a necessidade de exames periódicos, dos tratamentos e, principalmente sobre a prevenção da doença por meio de hábitos mais saudáveis.

Munir-se de informações passa a ser importante à medida que aumenta a incidência de casos no Brasil. O levantamento Incidência de câncer no Brasil, divulgado na última terça-feira, dia 24, pelo Inca (Instituto Nacional do Câncer), traçou as projeções da doença para o próximo ano. Os dados são alarmantes.

Segundo o Inca, o tipo mais comum da doença continua sendo o câncer de pele não melanoma (versão menos letal desse tipo de câncer) para ambos os sexos, que deverão somar 113 mil ocorrências.

No caso dos homens, o tipo mais comum de câncer depois do de pele não melanoma será o de próstata, que deve representar 28,6% dos casos em pessoas do sexo masculino, ou seja, cerca de 52.350 casos. Em seguida, vêm os de traqueia, brônquio e pulmão, com 17,8 mil casos (9,7%); estômago, com 13.820 (7,6%); cólon e reto, com 13.310 (7,3%); e boca, com 10.330 (5,7%).

Entre as mulheres, os tipos de câncer mais comuns depois do de pele não melanoma devem ser o de mama, com 49.240 casos (25,6%), colo do útero, com 18.430 (9,6%), cólon e reto, com 14,8 mil (7,7%), traqueia, brônquio e pulmão, com 9.830 (5,1%), e estômago, com 7.680 (4,0%).

Segundo o estudo, analisando separadamente as regiões do país, encontram-se padrões diferentes no que se refere aos tipos de câncer mais comuns. O de mama é o tipo de câncer feminino mais comum em todas as regiões, com exceção do Norte, onde o de colo de útero é mais comum.

Entre os homens, o câncer de próstata é o mais comum em todas as regiões. No Sul, Sudeste e Centro-Oeste, ele é seguido pelo de traqueia, brônquio e pulmão. No Norte e Nordeste, o segundo principal tipo é o câncer de estômago.

Envelhecimento da população aumenta casos

Para o próximo ano estima-se que 490 mil novos casos de câncer deverão ser registrados no Brasil. Destes, 52% serão de mulheres (253 mil), enquanto os homens responderão por 48% (236 mil).

As estimativas para incidência de câncer no Brasil em 2010, divulgadas pelo Inca, também mostram que 131 mil novos casos da doença poderiam ser evitados caso as pessoas adotassem hábitos alimentares saudáveis.

Ao não fumar, por exemplo, a pessoa pode evitar desenvolver o câncer de pulmão, de boca e de esôfago, além de tumores em qualquer parte do corpo, já que as substâncias cancerígenas do cigarro percorrem a corrente sanguínea.

De acordo com o coordenador de Prevenção e Vigilância do Inca, Claudio Noronha, o grande número de casos de câncer no país está associado ao processo de envelhecimento dos brasileiros.

- A população brasileira vem envelhecendo de forma acelerada e isso tem grande relação com a ocorrência do câncer não só no Brasil, mas no mundo como um todo. O câncer é uma doença que ocorre a partir de exposições prolongadas a um conjunto de fatores de risco. E, quanto mais as pessoas vivem, mais tempo elas estão expostas a esses fatores, seja o tabagismo, o padrão alimentar, fatores ambientais, de exposição ambientais e genéticos.

veja também