Diabetes é responsável por 9% das mortes na América Latina

Diabetes é responsável por 9% das mortes na América Latina

Atualizado: Sexta-feira, 2 Julho de 2010 as 7:21

As complicações causadas pelo diabetes são responsáveis por 9% de todas as mortes registradas na América Latina e no Caribe - cerca de 330 mil pessoas irão morrer em 2010 por causa da doença, de acordo com estimativas da Fundação Mundial de Diabetes e da Federação Internacional de Diabetes. O levantamento mostra ainda que 6,3% dos adultos da região (18 milhões de pessoas) têm o problema e a expectativa é que esse número cresça 65% em 20 anos, chegando a 30 milhões de pacientes.

Os dados foram apresentados durante a Conferência sobre Diabetes para a América Latina, que acontece em Salvador, na Bahia, até esta sexta-feira (2).

Levando em conta dados de todo o planeta, coletados pela OMS (Organização Mundial da Saúde), há 285 milhões de casos de diabetes. Isso representa "mais do que dez vezes o número de pessoas que vivem com HIV/Aids no mundo inteiro", diz a organização.

O ministro da Saúde do Brasil, José Gomes Temporão, diz em comunicado que no país, onde 6,4% da população tem a doença, "estamos testemunhando um aumento nas taxas de diabetes e outras doenças crônicas não transmissíveis".

- O rápido crescimento econômico e o aumento da urbanização, enquanto que aumentam os padrões de vida em geral, também implicam uma série de hábitos de estilo de vida indesejáveis, como alimentação pouco saudável, redução da atividade física, tabagismo e abuso de bebidas alcoólicas, que todos contribuem para o risco das doenças crônicas não transmissíveis.

Além disso, o diabetes contribui para o aparecimento de outras doenças complicadas de serem tratadas, segundo o relatório da fundação.

- O diabetes mais do que triplica o risco de contrair tuberculose. No topo de tudo isso, a má nutrição e as infeções durante a gestação causam um baixo peso de nascimento, o que paradoxalmente, é associado a um alto risco de desenvolver a síndrome metabólica, incluindo o diabetes no filho. A situação é agravada ainda mais pelo fato de os riscos aos quais as mulheres e seus filhos são expostos durante a gestação aumentarem muitas vezes se a gravidez estiver associada ao diabetes – e pelo fato de um filho de uma mulher com diabetes ter um risco oito vezes mais elevado de ele próprio desenvolver o diabetes.

Além dos evidentes riscos para a saúde das pessoas, o aumento da doença também causa um aumento nos gastos, tanto públicos quanto privados, com esse tipo de tratamento. Só na América Latina, o diabetes e suas complicações consomem R$ 14,6 bilhões (US$ 8,1 bilhões) por ano – no mundo, o valor chega a R$ 41 bilhões (US$ 23 bilhões).

Fonte R7

Postado por Juliana Simioni

veja também