Diabéticos usam menos remédios após cirurgia bariátrica

Diabéticos usam menos remédios após cirurgia bariátrica

Atualizado: Quarta-feira, 18 Agosto de 2010 as 4:26

De acordo com um artigo publicado na edição de agosto do jornal Archives of Surgery, a cirurgia bariátrica pode estar associada com a redução de medicamentos e, consequentemente, de custos para pacientes com diabetes tipo 2. Durante um período de quatro anos, entre 2002 e 2005, o autor do estudo Martin A. Makary, juntamente com sua equipe da Johns Hopkins Bloomberg Scholl of Public Health, em Baltimore, nos Estados Unidos, estudou 2.235 adultos diabéticos tipo 2, com idade média de 48 anos, que foram submetidos a cirurgias bariátricas. A pesquisa utilizou as reivindicações dos pacientes para medir o uso de medicamentos para diabetes e as mudanças com os gastos em saúde por ano, antes e depois da cirurgia.

Entre os pacientes avaliados, 85% estavam tomando pelo menos um medicamento para diabetes depois da cirurgia. Seis meses depois da cirurgia, 74,7% dos pacientes haviam eliminado seus medicamentos para diabetes. Já um ano após a cirurgia, dos 1.847 pacientes com dados disponíveis, 1.489 eliminaram as medicações. Depois de dois anos, 906 dos 1.702 pacientes com dados disponíveis tinham feito o mesmo. Essa redução foi observada em todas as classes de medicamentos para diabetes.

Segundo Makary, foi observado que esta independência dos medicamentos para diabetes foi quase imediata nos meses iniciais depois da cirurgia e não tiveram relação com a perda de peso gradual esperada. "Isso apoia a teoria que a resolução do diabetes não é apenas pela perda de peso, mas também é mediada por hormônios gástricos, como os três maiores indicadores: peptídeo YY, peptídeo Glucagon e polipeptídeo pancreático", explica o pesquisador. Ele completa, "Como um conhecido mediador de regulação da insulina, os níveis do peptídeo Glucagon aumentaram imediatamente após a cirurgia bariátrica e podem explicar por que os cirurgiões têm notado o completo desaparecimento do diabetes, em alguns casos".  

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), a cada cinco segundos, uma pessoa descobre que tem diabetes. Estima-se que mais de 246 milhões de pessoas no mundo já tenham a doença, existe a previsão de que até 2025 este número suba para 380 milhões. No Brasil, a Sociedade Brasileira de Diabetes, estima que aproximadamente sete milhões de pessoas, com mais de 18 anos, têm a doença. A entidade mapeou o perfil dos diabéticos no país através de um estudo, e constatou que cerca de 11% dos brasileiros são diabéticos e o pior de tudo é que 60% não sabem que têm a doença.

veja também