MENU

Saúde

Diagnóstico de febre amarela exige atenção especial

Diagnóstico de febre amarela exige atenção especial

Fonte: Atualizado: sábado, 29 de março de 2014 03:31

Com sintomas muito parecidos - febre alta, mal-estar, dor de cabeça, dor muscular muito forte, cansaço, calafrios, vômito e diarreia - a febre amarela pode ser confundida tanto com dengue, quanto com a malária, dificultando, assim, o diagnóstico rápido. Apesar de, em média, metade dos casos da febre amarela evoluir bem, outros podem apresentar, além dos já citados, sintomas graves como icterícia, hemorragias, comprometimento dos rins, fígado (hepatite e coma hepático), pulmão e problemas cardíacos que podem levar à morte. Sintomas esses que aparecem de três a seis dias após a picada (período de incubação). Por isso, o diagnóstico da febre amarela requer atenção especial.

A febre amarela é uma doença infecciosa causada por tipo de vírus chamado flavivírus. Existem dois tipos: a silvestre, transmitida pela picada do mosquito Haemagogus, e a urbana transmitida pela picada do Aedes aegypti, o mesmo que transmite a dengue. A transmissão do vírus ocorre quando o mosquito pica uma pessoa ou primata (macaco) infectados, normalmente em regiões de floresta e cerrado, e depois pica uma pessoa saudável que não tenha tomado a vacina.

Recentemente, novas cidades foram incluídas na lista com recomendação para vacinação. Só no estado de São Paulo, mais 49 cidades estão em áreas consideradas de risco. A determinação é que viajantes ou moradores dessas regiões tomem vacina. Para uma eficácia maior aos que se deslocam para as áreas de risco, a vacina deve ser tomada com dez dias antes da viagem, tempo necessário para que o organismo possa produzir os anticorpos necessários.

Siga-nos

Mais do Guiame

O Guiame utiliza cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência acordo com a nossa Politica de privacidade e, ao continuar navegando você concorda com essas condições