Dieta inadequada pode causar desconforto intestinal

Dieta inadequada pode causar desconforto intestinal

Atualizado: Terça-feira, 8 Novembro de 2011 as 2:43

Intestino preso, constipação intestinal ou prisão de ventre é um distúrbio comum de origem funcional que pode afetar crianças, mulheres e homens. A doença é caracterizada por fezes endurecidas, ressecadas e dolorosas, além da frequência e quantidade de evacuações reduzidas que causam a sensação de esvaziamento incompleto do reto.

Normalmente as mulheres são mais atingidas pela obstipação intestinal, pois cerca de 60% das que procuram o consultório médico sofrem com o problema, conforme explica o cirurgião geral e proctologista Juliano Fernandes da Costa, do Hospital e Maternidade Beneficência Portuguesa de Santo André.

Entre as principais causas do intestino preso estão dieta inadequada com baixa ingestão de fibras; uso excessivo de proteínas e alimentos industrializados; baixa ingestão de líquidos; inibição da defecação; falta de exercício físico; distúrbios psicológicos e uso abusivo de laxantes. Segundo o especialista pode ocorrer a obstipação intestinal crônica, ligada a uma alimentação pobre em fibras.

As fibras são classificadas em celulose (farelo de trigo, couve, fava, brócolis, pepino, pimentão e maçã), hemicelulose (cereais, grãos integrais, mostarda e beterraba) e lignina (verduras, morango, berinjela, pêra e rabanete). Já as solúveis em amidos (aveia e feijão) e pectinas (abóbora, frutas cítricas, feijão verde, leguminosas secas, cenoura e batata).

Com o tratamento é possível regularizar o trânsito intestinal, corrigir erros alimentares e ter uma dieta mais laxativa. Porém, a melhor forma de corrigir o problema é a mudança de hábitos que deve incluir a ingestão de fibras e líquidos, alimentos funcionais e exercícios físicos. É recomendado que um adulto consuma diariamente cerca de 30 gramas de fibras e as crianças 5 gramas.

Os indivíduos sem graves sintomas precisam apenas aumentar a ingestão de água e fibras alimentares, pois a utilização rotineira de laxantes sem orientação médica não é recomendada, pois pode tornar o intestino dependente do seu uso, além de piorar a sensação de cólica.

“Qualquer alteração do hábito intestinal merece atenção de um profissional. Outros sintomas associados como perda de peso, dor abdominal acentuada ou sangramento podem indicar doenças associadas. É importante lembrar que doenças sistêmicas podem estar associadas a obstipação como diabetes ou doenças da tireóide”, explica o especialista.

veja também