A dois meses da corrida veja dicas para São Silvestre

A dois meses da corrida veja dicas para São Silvestre

Atualizado: Quarta-feira, 7 Novembro de 2012 as 3:26

 

Para muita gente, não só do Brasil, como do mundo inteiro, ela é a marca de que o ano chegou ao fim. A tradicional e concorrida Corrida de São Silvestre, que acontece em São Paulo há 87 anos, atrai cerca de 15 mil pessoas no dia 31 de dezembro. Entre os participantes encontram-se corredores profissionais, corredores amadores e corredores da ‘bagunça’, que aproveitam para usar fantasiar e antecipar a festa do Ano novo.

A preparação adequada não só ajuda a driblar os desafios que surgem no trajeto como é essencial para que o participante consiga um bom desempenho e complete os 15 quilômetros de prova. Em cada trecho, uma dica especial faz a diferença, veja as dicas para construir o melhor treino pensando em encarar a prova de rua. Ainda dá tempo!

Veja dicas que o Vida e Estilo coletou para você:

Largada na Avenida Paulista

A largada da prova de São Silvestre é muito confusa: muitas pessoas, ansiosas pelo disparo, ficam tentando garantir um pequeno espaço na Avenida Paulista. Gustavo Abade conta que, além dos cerca de 15 mil inscritos na prova, outros tantos correm sem inscrição, já que as vagas são limitadas. Por causa da multidão, provavelmente você vai partir muito longe da linha inicial, o que aumenta um pouco a quilometragem da sua prova. A dica é encarar a multidão faltando de cinco a dez minutos para o início da prova. Reserve o tempo em que ficar fora para achar um espaço e fazer o aquecimento, dando preferência aos movimentos semelhantes aos da corrida - como a elevação de joelhos e rotação de quadril. Depois da largada, comece com uma caminhada leve antes de correr. Essa atitude minimiza o risco de lesões musculares e articulares. Inclua agora essa rotina no treino para evitar contratempos e surpresas no dia da prova, como as cãibras, por exemplo.

Subida íngreme no túnel José Roberto Fanganiello Melhem

 Apesar de ser curta, essa subida é bastante íngreme e, por isso, exige alguns cuidados especiais.

Curva para entrar na Rua Major Natanael

 Logo na saída do túnel, as pessoas acabam se amontoando na parte direita da via para descer sentido Avenida Pacaembu. Além disso, existem muretas, guia e muitos sinalizadores de trânsito nesse local. A melhor opção é fazer a curva pela esquerda. Esse cuidado, apesar de adicionar alguns metros à prova, evita que o corredor seja empurrado para fora do trajeto. Treine fazer as curvas pelo lado de fora para não prejudicar seu desempenho na hora. E fique atento: em curvas muito fechadas, a mudança brusca de direção do corpo pode provocar lesões, como entorses de tornozelo.

Descida da Avenida Pacaembu

Segundo o educador físico Gustavo Abade, essa parte do percurso engana muita gente. "Por estar logo no começo da prova, o corredor ainda não está cansado, gasta mais energia do que deve nessa passagem, e acaba sem fôlego para outras partes da prova", afirma.

Curvas do centro

A parte do percurso feita no centro tem várias curvas, o que confere a ela uma sinuosidade difícil de percorrer.

O terreno plano da Avenida São João

Entre tanto sobe e desce, um terreno plano instiga muitos corredores a correr com toda a velocidade possível. Essa é uma má ideia, já que o que vem pela frente é muita subida.

Subida da Avenida Brigadeiro Luís Antônio

 Para Gustavo Abade, a São Silvestre começa na Avenida Brigadeiro Luís Antônio." É preciso muito fôlego para enfrentar esses 2,5 quilômetros de subida", conta. Muita gente acaba fazendo essa parte do percurso andando. Para dar conta da corrida nessa passagem o especialista dá duas dicas: "Mantenha um ritmo leve no resto da prova para chegar até aqui e faça os treinos em subida". Ele também lembra que é importantíssimo ficar atento à postura nessa subida. "Suba com o tronco mais à frente que o resto do corpo, eleve bem os joelhos e pise mais com a parte anterior do pé do que com o calcanhar".

Procure na sua cidade lugares com subidas íngremes para se preparar a prova e, se você é de São Paulo, o especialista dá a dica: a subida da biologia na USP (Universidade de São Paulo), a subida do monumento no Museu do Ipiranga e até a Serra da Cantareira são bons lugares para treinar a elevação da Brigadeiro (já que a própria Brigadeiro é uma avenida de muito movimento e há risco de acidentes).

 

Com informações de Yahoo

 

veja também