Especialistas alertam para os riscos do uso de laser na pele

Especialistas alertam para os riscos do uso de laser na pele

Atualizado: Segunda-feira, 13 Dezembro de 2010 as 8:22

Os tratamentos com laser têm se tornado cada vez mais populares, mas oferecem riscos, de acordo com especialistas. A técnica é usada em tratamentos estéticos para remover tatuagens, pelos, rugas, manchas e pintas. O princípio da ação do laser é o calor, que também é fonte dos riscos.

"Esse calor, às vezes, é excessivo para a pele e pode levar a complicações. A maior complicação do laser é a queimadura", explica o médico do Departamento de Laser da Sociedade de Dermatologia, Alexandre Felippo.

O administrador Renato Feijó se submeteu a tratamento a laser para fazer depilação definitiva da barba e ficou com lesões no rosto. Esse tipo de procedimento está entre os mais procurados pelos consumidores.

"Na primeira sessão, detonou meu rosto todo. Era como se eu tivesse tomado vários socos no rosto. Como se tivessem vários marimbondos mordendo meu rosto. Ficou muito inchado. E nunca caiu pelo nenhum", relata o administrador.

Na depilação definitiva, o laser é "atraído" pelos pigmentos escuros do pelo e penetra na pele, atingindo a raiz, destruindo-a. Com isso, é interrompido o nascimento de novos pelos. Feijó afirmou que não teve atendimento médico adequado. Ele entrou na Justiça contra a clínica onde foi atendido.

"Não teve nenhum tipo de avaliação, nada, me levaram para uma sala. E eu pensando que era para passar algum creme, fazer minha barba. ‘Não, a gente já vai fazer a depilação’, explicou o funcionário. E eu falei: ‘Mas tão rápido assim? Não fui nem visto pelo médico’. A pessoa disse: ‘Não, quem vai te avaliar sou eu mesmo’", lembrou o administrador.

A pedido da reportagem do Fantástico, o médido Cláudio Roncatti, da Sociedade Brasileira de Laser, fez uma demonstração da potência e dos riscos dessa técnica. O mesmo laser que é aplicado em regiões delicadas da pele – como a pálpebra – pode causar estrago na madeira. Quando aplicado em um osso de galinha, o laser provoca fogo e corta o osso.

"A potência da máquina é tamanha que eu acabo fazendo fogo no papel. Isso acontece pelo tempo usado com o laser em um só lugar, pela potência que é usada. É a união de todos esses fatores que pode causar isso", explica Roncatti.

A recomendação de especialistas é agir com cautela antes de se submeter a tratamentos com laser. "O consumidor tem que tomar cuidado. Ele não pode entrar simplesmente em uma clínica dessas e já ir fazendo porque o preço é barato" alerta o dermatologista Alexandro Felippo.

A costureira Márcia Maria Roberto também teve uma experiência negativa ao se submeter a um tratamento de laser, que vaporiza água na pele para suavizar rugas. Depois do procedimento, ela teve uma reação e precisou procurar ajuda de outra médica.

"Quando terminou o procedimento, que eu me olhei no espelho, eu tive um choque de ver meu rosto todo deformado. Era como se tivesse jogado uma pimenta no rosto", contou a costureira.

Márcia lembra que a médica lhe disse: "’Não posso garantir para você que você vai ficar boa’. Quando ela me disse isso, eu fiquei desesperada".

veja também