Estudo comprova ação neuroprotetora do Ômega - 3 em ratos com epilepsia

Estudo comprova ação neuroprotetora do Ômega - 3 em ratos com epilepsia

Atualizado: Quarta-feira, 12 Março de 2008 as 12

Pesquisa realizada na Disciplina de Neurologia Experimental da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) confirmou a ação protetora do ômega-3 no tecido cerebral.

Iniciado em 2006, o estudo também teve a participação de pesquisadores do Departamento de Fisiologia da Unifesp e do Departamento de Engenharia Biomédica da Universidade Federal de São João Del Rei (MG).

De acordo com o coordenador da pesquisa, Fulvio Scorza (Professor Adjunto do Departamento de Neurologia e Neurocirurgia da Unifesp), o estudo é o primeiro realizado no mundo sobre a ação do ômega-3 no tecido cerebral e pode ser um grande passo para ajudar a minimizar os danos causados pelas crises epilépticas nos neurônios e, com isso, melhorar a qualidade de vida do indivíduo com epilepsia. O ômega-3 é encontrado principalmente em peixes (salmão, atum e sardinha), mas também pode ser vendido em cápsulas. "No passado, as pessoas tomavam o conhecido 'óleo de fígado de bacalhau' e já protegiam, sem saber, os seus neurônios", conta o neurofisiologista.

Para comprovar a eficácia do ômega-3, foi necessário um ano de trabalho, entre levantamento de dados, acompanhamento dos animais e análise dos resultados. A pesquisa foi realizada com 20 ratos e os animais foram divididos em quatro grupos e avaliados durante 2 meses:

1. animais sem epilepsia e tratados diariamente com solução salina;

2. animais sem epilepsia e tratados diariamente com 85mg de ômega-3;

3. animais com epilepsia e tratados diariamente com solução salina;

4. animais com epilepsia e tratados diariamente com 85mg de ômega-3.

Após os tratamentos (dois meses) foi realizada a contagem do número de neurônios da formação hipocampal (regiões CA1, CA3 e Hilo). Os animais do grupo 3 apresentaram maior perda de neurônios, especialmente na região CA3, quando comparados aos animais do grupo 4. Os animais com epilepsia e tratados com ômega-3 apresentaram menor lesão neuronal.

"De acordo com o estudo, pode-se concluir que existe um efeito neuroprotetor do ômega-3 sobre as células cerebrais, diminuindo as lesões nos neurônios do hipocampo", explica Fúlvio.

Epilepsia

A epilepsia é um distúrbio neurológico decorrente da alteração de funções elétricas no córtex cerebral, ou seja, uma parte do cérebro emite sinais incorretos que podem ficar restritos a um determinado local ou se espalhar. O problema pode decorrer de causas genéticas ou ser causado por fatores externos, como traumas na hora do parto, tumores, pancada forte na cabeça, infecção provocada por meningite, cisticercose cerebral, abuso de álcool e drogas, entre outras causas.

Algumas vezes, a causa é desconhecida e as crises podem ser desencadeadas por febre, suspensão abrupta da medicação, fadiga física, ingestão abusiva de álcool, privação de sono, respiração forçada ou fortes emoções.

Existem no Brasil cinco casos de epilepsia para cada mil habitantes, sendo registrados em torno de 50 novos casos por ano para cada grupo de 100 mil indivíduos. Estima-se que 1% da população mundial tenha o distúrbio, número que pode ser maior nos países em desenvolvimento.

Postado por: Claudia Moraes

veja também