Estudo liga consumo de carne processada ao câncer de bexiga

Estudo liga consumo de carne processada ao câncer de bexiga

Atualizado: Terça-feira, 3 Agosto de 2010 as 9:44

Comer grandes quantidades de carnes vermelhas processadas, como salsicha, pepperoni e salame, pode aumentar o risco de desenvolver câncer de bexiga, de acordo com um estudo feito pelo National Cancer Institute, em Maryland, nos Estados Unidos. A descoberta envolveu mais de 300 mil participantes e sete anos de análises.

Os participantes tinham entre 50 e 70 anos e foram avaliados em relação à quantidade e frequência de carnes processadas que consumiam ao estilo de vida (tabagismo, sedentarismo) e à condição social. Durante o estudo, foram identificados 854 casos (720 homens e 134 mulheres) de câncer de bexiga.

Os pesquisadores descobriram então que o grande vilão é na verdade o conservante usado nas carnes processadas, os embutidos, em especial o nitrato e o nitrito. Quando as carnes processadas são ingeridas em grandes quantidades e por um longo período de tempo, esses conservantes passam para a urina e podem interferir no tecido da bexiga, ajudando a desenvolver o câncer de bexiga. Os cientistas disseram ainda que nos Estados Unidos, esses dois conservantes estão em 90% das carnes processadas, por isso, o alerta.

No entanto, os pesquisadores ressaltaram que os índices de aparecimento de câncer de bexiga não foram associados ao bacon, hambúrguer, bife e às carnes brancas, como o frango e o peru.  

O modo de preparo da carne, se ela é grelhada, frita ou feita no micro-ondas também pode acabar aumentando os riscos do desenvolvimento desse tipo de câncer. Os conservantes ruins para o organismo costumam ficar mais concentrados quando a carne vermelha é fria. No entanto, os pesquisadores afirmaram precisar desenvolver melhor essa relação modo de preparo e aparecimento de câncer de bexiga.

A pesquisadora Amanda J. Cross, uma das coordenadoras do estudo (publicado na edição online da Revista Câncer) afirmou ainda que as pessoas que comiam mais carne vermelha processada eram mais jovens, com menor nível escolar, menos ativos fisicamente e consumiam verduras e frutas em menor quantidade.  

Carne vermelha e o câncer

Apesar de esse novo estudo ter se restringido à análise das carnes processadas, um estudo anterior já havia mostrado que consumir qualquer tipo de carne com frequência, até mesmo peixes, porco e frangos (quando fritos), podem elevar o risco de aparecimento do câncer de bexiga. No entanto, esse estudo, feito pela Universidade do Texas, segue a tendência contrária e mostrou que a carne cozida a altas temperaturas produz substâncias que podem causar câncer. Dos mais de 800 participantes do estudo, aqueles que comiam mais carne vermelha tinham quase 1,5 vezes mais chances de desenvolver câncer na bexiga do que os que consumiam pouca carne.

O Instituto Nacional de Câncer também mostrou que cerca de 60% dos casos de câncer podem ser evitados a partir de hábitos de vida saudáveis. De acordo com os pesquisadores, a melhor estratégia para a prevenção do câncer é aliar um alimentação equilibrada à prática de exercícios físicos regulares e manter o peso controlado. Tais medidas são capazes de prevenir 63% dos casos de câncer de faringe, laringe e boca; 52% dos casos em que a doença atinge o endométrio (camada que recobre o útero internamente) e 60% dos tumores de esôfago.  

veja também