Excesso de peso quase triplica entre os homens brasileiros em 30 anos

Excesso de peso quase triplica entre os homens brasileiros em 30 anos

Atualizado: Sexta-feira, 27 Agosto de 2010 as 4:29

Em 34 anos, o índice de homens brasileiros acima do peso quase triplicou no Brasil, segundo dados divulgados nesta sexta-feira (27) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). De acordo com o levantamento, que leva em conta os anos de 2008 e 2009, 50,1% dos homens adultos estão acima do peso – a taxa era de 18,5% em 1974-75. Enquanto isso, para as mulheres a taxa quase dobrou (de 28,7% para 48%).

Os dados são da Pesquisa de Orçamentos Familiares 2008-2009 – Antropometria e Estado Nutricional de Crianças, Adolescentes e Adultos no Brasil, feita com base em entrevistas e medições de peso e altura em mais de 188 mil pessoas entre os meses de maio de 2008 e 2009.

No estudo, o IBGE diz que "o excesso de peso e a obesidade são encontrados com grande frequência, a partir de cinco anos de idade, em todos os grupos de renda e em todas as regiões brasileiras".

O levantamento indica que metade dos adultos brasileiros tem problemas com o peso. Na população que tem ao menos 20 anos de idade, 49% está com excesso de peso, sendo que para 14,8% o caso já é de obesidade, um sério distúrbio causado por fatores genéticos ou ambientais.

Ela tem consequências para vários problemas de saúde, como doenças cardiovasculares, hipertensão (pressão alta), diabetes e falhas nas articulações. Por causa disso, o próprio instituto reconhece que o fenômeno é "um problema de grande relevância para a saúde pública no Brasil".

De acordo com o instituto, o peso das crianças brasileiras teve um "aumento explosivo" nas últimas três décadas. Entre 1974 e 1975, apenas 10,9% dos meninos nessa faixa etária estavam acima do peso, índice que passou para 15% em 1989 e 34,8% agora. Entre as meninas, a prevalência foi de 8,6% há 34 anos para 32% em 2008-09.

Nos adolescentes, a tendência é a mesma. O índice de meninos de dez a 19 anos com excesso de peso cresceu seis vezes nesse período, saltando de 3,7% para 21,7%. Entre as meninas a prevalência saiu de 7,6% para 19,4%.

O IBGE indica que, nos últimos seis anos, a frequência de pessoas com excesso de peso aumentou mais de um ponto percentual ao ano, o que indica que, em dez anos, o problema vai chegar a um terço da população brasileira adulta, um cenário semelhante ao que acontece nos Estados Unidos.

A pesquisa diz que "a explicação para o aumento da frequência dessas condições deve ser procurada em mudanças nos padrões de alimentação e de atividade física da população".

- A análise de pesquisas de orçamento familiar realizadas até 2002-2003 revela tendência crescente de substituição de alimentos básico e tradicional na dieta brasileira (como arroz, feijão e hortaliças) por bebidas e alimentos industrializados (como refrigerantes, biscoitos, carnes processadas e comida pronta), implicando aumento na densidade energética das refeições e padrões de alimentação capazes de comprometer a autorregulação do balanço energético dos indivíduos e aumentar o risco de obesidade na população.

Por isso, a recomendação que é as autoridades adotem medidas que aumentem o acesso da população a alimentos saudáveis como frutas e hortaliças e "intervenções no espaço urbano" que ajudem na prática regular de atividade física.

veja também