Exercícios físicos no pós-parto

Exercícios físicos no pós-parto

Atualizado: Sexta-feira, 9 Setembro de 2011 as 2:08

Atualmente, há diversos programas de exercícios durante a gestação. No entanto, parece haver certa negligência em relação aos exercícios no pós-parto. De maneira geral, podemos iniciar os exercícios entre 4 a 6 semanas após o parto, desde que haja liberação do obstetra.

Antes deste período pode haver uma intervenção de um fisioterapeuta para avaliação e técnicas de reabilitação de períneo, reto e abdômen. Acredita-se que a intervenção fisioterápica nesta fase, diminua o risco de incontinência urinária e melhor recuperação de diástase do reto abdominal (afastamento dos músculos do abdômen).

Há alguns mitos que rodeiam o exercício no pós-parto, como a lactação. A literatura científica aponta que os exercícios não prejudicam a composição e a quantidade de leite, desde que haja nutrição adequada que supra os gastos energéticos da amamentação e do exercício.

Ainda durante a amamentação, acredita-se que após os exercícios o bebê possa rejeitar o leite materno, alegando-se que a produção do ácido lático durante os exercícios alteraria o gosto do leite. No entanto, a produção deste componente no sangue e consequentemente no leite, apenas ocorre ao realizar exercícios extremamente vigorosos (não recomendados nesta fase).

Mesmo assim, uma hora após a realização de exercício intenso os níveis de lactato retornam à sua normalidade. Desta forma, para evitar este problema recomenda-se que a mãe amamente apenas uma hora após os exercícios.

Apesar de haver estudos que se contrapõem, parece haver melhor perda de peso em mães que amamentam. No entanto, a associação de dieta a exercícios é mais eficiente para a diminuição da retenção de peso no pós-parto. Ainda, a participação de mulheres no pós-parto num programa de exercícios reduzem problemas de ordem psicológica como depressão e ansiedade, muito frequentes nesta fase.

Deve-se ter cuidado na realização dos exercícios, pois algumas alterações provocadas pela gestação demoram algum tempo para retornarem ao normal, como a frouxidão ligamentar, por exemplo. Por esta razão e devido à amamentação, os exercícios devem ser de intensidade leve a moderado pelo menos três vezes por semana, podendo-se aumentar a intensidade e a duração ao longo do tempo.

Atualmente, há programas de exercícios que a mãe pode realizá-lo junto ao seu bebê, aumentando assim o vínculo entre mãe e filho. Outra dica é a realização de caminhadas em que a mãe leva o seu bebê em carrinhos que são fabricados especialmente para este fim.

No entanto, estes programas não substituem os exercícios que as mães necessitam. Neste período, a mulher precisa executar exercícios defortalecimento para todos os grupos musculares, pois muitas não realizam nenhuma atividade durante a gestação e assim diminuem muito a aptidão física.

Os músculos do abdomên e assoalho pélvico precisam de atenção especial, bem como os músculos das costas. Podem ser realizados pelo menos duas vezes na semana. Para que tenha efeito, o exercício deve ser realizado por pelo menos 30 minutos com uma intensidade de 60 a 70% da frequência cardíaca máxima, ou seja, é necessário que a frequência cardíaca se eleve um pouco, mas que a mãe consiga conversar enquanto caminha.

veja também