Exercícios sem risco

Exercícios sem risco

Atualizado: Quarta-feira, 7 Maio de 2008 as 12

A correria desencadeada pela boa forma é a principal causa para que as pessoas pratiquem atividades físicas de maneira errada, muitas vezes exagerada e, não raro, sem acompanhamento adequado.

"Uma execução diferente nem sempre é errada. O que é considerado prejudicial é a sobrecarga de atividades físicas, acima do nível adequado para pessoas que não têm condição física e flexibilidade o suficiente. Tudo isso pode causar lesões", explica Mauro Cardaci, coordenador de musculação da unidade Jardins da Fórmula Academia.

Os erros ao praticar exercícios se tornam ainda mais perigosos quando se percebe que, um dos mais prejudicados pode ser um órgão vital: o coração. "Quando o sistema cardiovascular é submetido a um esforço para o qual a pessoa não está acostumada, tem-se uma situação de estresse agudo. A conseqüência é a liberação de uma grande quantidade de adrenalina na circulação, causando o aumento da pressão arterial e da freqüência cardíaca", alerta o cardiologista Dalmo Moreira, do Delboni Auriemo.

Conseqüências da falta de controle

Conhecer os limites do corpo é fundamental para a prática de exercícios de maneira segura. "É essencial saber o que se pode ou não ser feito. Homens acima de 30 anos correm risco de mal súbito", orienta Cardaci.

"Com certeza, esse grupo de indivíduos (por volta dos 40 anos) já pode ter um grau de obstrução coronária e não sabe. Se realizar um esforço intenso, corre o risco de sofrer um infarto do miocárdio", completa Moreira.

Mesmo não chegando a níveis extremos, a sobrecarga de exercícios pode prejudicar várias partes do corpo. "Às vezes, a pessoa acaba tendo uma distensão, ou problemas na articulação do joelho, na coluna ou nos ombros, esses são os pontos mais afetados. Lesões musculares ou articulares são os maiores problemas", explica Cadarci.

Planejamento e profissionalismo

Assim como em um processo de emagrecimento, para conseguir resultados consistentes e duradouros com exercícios não adianta fazer loucuras. "Mas, não existem receitas ou milagres, os resultados demoram", afirma o coordenador.

Procurar um profissional para orientação nutricional é uma boa alternativa. Além disso, Cadarci sugere um planejamento que contemple três grupos de atividades: controle respiratório e de peso, trabalho de musculação e flexibilidade. "A velocidade de resultados é um fator muito individual, e a única forma de acelerar o processo é com acompanhamento especializado", orienta.

No que diz respeito ao corpo, os limites devem ser respeitados. "Muitas vezes, a correria só se mostra pior, a pessoa faz o que não deve por um mês e fica dois ou três parada, sem poder praticar nenhuma atividade", alerta.

E para saber quais são esses limites, são necessárias ações antes de se iniciar os exercícios. "Aconselho atividades físicas a todas as pessoas. Mas, antes de qualquer atitude, é primordial realizar uma rigorosa avaliação clínica com um cardiologista e definir de acordo com o perfil um plano adequado para os exercícios físicos", diz o cardiologista.

Postado por: Claudia Moraes

veja também