Exercite a mente e descubra seu potencial criativo

Exercite a mente e descubra seu potencial criativo

Atualizado: Sábado, 20 Fevereiro de 2010 as 12

No title O projeto precisa estar na mesa do chefe no final do dia. São duas horas da tarde e você não escreveu nem dez linhas. De frente para a tela do computador, digita frases freneticamente, mas as apaga em seguida. Definitivamente, as ideias que surgem ficam melhores na sua cabeça do que no papel. Enquanto isso, o relógio parece andar mais rápido. Bate o desespero: você está passando por um bloqueio.

Sentiu o clima de tensão? Pois é, em um mundo que exige sacadas cada vez mais geniais em tempo recorde, situações como essa são extremamente comuns. Para evitar essas "travadas", nada melhor do que exercitar seu potencial criativo. Ao contrário do que muita gente pensa, a criatividade é algo inerente ao ser humano. Mas, em função de inúmeros fatores, uns conseguem expressá- la melhor do que outros. "Às vezes, uma crítica ou um olhar de reprovação é capaz de fazer uma pessoa pensar que não é capaz. Dessa forma, ela passa a descartar todas as ideias que surgem em sua mente, pois tem certeza de que nenhuma é boa o suficiente", exemplifica a psicóloga Eunice Soriano de Alencar, da Universidade Católica de Brasília (UCB), que estuda o tema há décadas.

Para impedir a formação dessas barreiras, pais e professores devem instigar a autoconfiança nas crianças. Sendo assim, não as deixe acreditar que cometer erros é inaceitável: permita que aproveitem a infância e procure elogiá-las sempre que possível. "Hoje, a criança é obrigada a abandonar o mundo da fantasia precocemente. Só que é dentro do imaginário infantil que mora a criatividade", resume a psicológica e psicoterapeuta Maria de Lourdes da Silva Meirelles, de São Paulo (SP).

Quando estiver esgotado e as ideias teimarem em não aparecer, nada de forçar a barra. Dê um tempo, distraia-se: fique certo de que sua mente continua trabalhando por você!

Permita-se!

A publicitária Luíza Silva, de 30 anos, da capital paulista (foto ao lado) perdeu as contas de quantas vezes trabalhou durante a madrugada depois de ficar o dia inteiro atrás de ideias originais que, infelizmente, nunca deram sinal. A reviravolta aconteceu após um feriado que passou com o namorado em uma cidadezinha do interior de Minas Gerais. "Quando desliguei o piloto automático, comecei a prestar mais atenção no que acontecia ao meu redor. Na segunda-feira, notei que o trabalho rendeu como nunca", conta.

Bacana, né? Bom, a verdade é que a moça aí da foto não se chama Luíza e nem é publicitária. Aliás, essa história que acabamos de contar é fruto da imaginação, elemento fundamental para a produção de pensamentos inovadores, mas que exercitamos pouco hoje em dia. Pode até ser engraçado, mas o fato é que "entrar em contato com o mundo da fantasia é muito importante para estimular a produção de ideias criativas", comenta a professora da UCB.

Brincadeiras de gente grande

Para mergulhar no universo do imaginário, nada melhor do que se conectar à criança que ainda existe em você. Aquela que se escondia entre as roupas da loja de departamento, porque era perseguida por um alienígena e, no dia de Natal, podia contar, em detalhes, como foi a passagem do Papai Noel e das renas por sua casa. "As pessoas precisam aprender a brincar com seus pensamentos, assim como as crianças fazem, pois o lúdico está muito ligado à produção de ideias", diz Eunice Soriano de Alencar.

Não sabe como fazer isso? É fácil: siga o nosso exemplo e experimente criar histórias envolvendo pessoas que encontra na rua, no ônibus, no restaurante, no elevador, na academia... Ao aliar o real com o lúdico, o resultado é uma trama cheia de possibilidades, em que não há certo e nem errado. "Só não pode confundir e passar a viver da fantasia!", alerta Maria de Lourdes.

Mil e uma possibilidades

Além desse exercício - usar personagens reais como inspiração para fábulas mirabolantes - há muitos outros que podem ser feitos para estimular seu potencial inventivo. O mais legal é que dá para transformá-los em joguinhos entre amigos, sabia? Um bom exemplo: selecione uma crônica e peça para cada participante do jogo inventar um final para ela. Quem for mais criativo, vence. Outra ótima ideia é formar uma roda e pedir para alguém iniciar uma história ("Era um dia ensolarado e eu estava andando pela rua"). O próximo participante deve, então, repetir a frase do colega e completá-la com outra sentença, dando continuidade ao conto ("Era um dia ensolarado, estava andando pela rua e encontrei o dono da padaria!"). E por aí vai...

Pensar em diversos títulos para uma mesma notícia que você acabou de ler, ou refletir como agiria em determinada situação se fosse o personagem do seu livro favorito são outras dicas da psicóloga de Brasília para manter a criatividade a todo vapor. E, apesar da publicitária Luíza não existir, é possível extrair outro ensinamento valioso a partir de sua experiência inventada: sair da rotina e conhecer pessoas e lugares novos é fundamental para trabalhar seu cérebro. Abastecido de repertório, acredite, as ideias geniais surgirão com muito mais frequência.

Por Thaís Costa

veja também