Existem mulheres hemofílicas?

Existem mulheres hemofílicas?

Atualizado: Quarta-feira, 25 Maio de 2011 as 11:45

Existem sim, mas são casos raríssimos. Trata-se de uma questão genética. Como aprendemos nas aulas de biologia, nós, seres humanos, possuímos dois cromossomos sexuais. Nas mulheres, ambos são do tipo chamado X. Já os homens têm um X e um Y. Na fecundação, portanto, sempre ocorre a união de um cromossomo X, que vem da mãe, com um X ou Y do pai (é o que determina se a criança nascerá menino ou menina). A hemofilia -   doença hereditária que provoca hemorragias prolongadas - ocorre quando há uma alteração no cromossomo materno, fazendo com que a   mulher   seja, portanto, a transmissora da   doença . "Para que uma menina nasça hemofílica é necessário que a mãe seja portadora de um cromossomo deficiente e o pai hemofílico também possua o X alterado.

Por isso, a probabilidade é tão pequena", afirma o hematologista José dos Santos Quintão, do Hospital de Clínicas de Belo Horizonte. Sempre que houver histórico de hemofilia na família, torna-se fundamental um aconselhamento genético como medida de prevenção. Se uma menina for diagnosticada hemofílica na infância, deve-se fazer um acompanhamento intenso, principalmente na época da primeira menstruação. Qualquer sangramento pode ser fatal. Hoje em dia, existem medicamentos industrializados que suprem, nos hemofílicos, a falta do chamado fator 8, responsável pela coagulação do sangue. "As perigosas transfusões de sangue não são mais usadas e esse medicamento é garantido pelo governo", diz José.

veja também