Exposição excessiva ao sol acarreta problemas de visão

Exposição excessiva ao sol acarreta problemas de visão

Atualizado: Quinta-feira, 6 Março de 2008 as 12

A exposição ao sol, sem proteção, a quantidades excessivas de radiação UV, por um curto período de tempo, pode causar uma ceratite. "É como se fosse uma 'queimadura' da córnea, causando dor, vermelhidão, lacrimejamento, fotofobia e sensação de areia nos olhos", diz Virgilio Centurion. A exposição prolongada ao sol "aumenta a chance do desenvolvimento de cataratas (opacificação do cristalino), pterígio, câncer de pele nas pálpebras e lesões na retina (degenerações), além de poder causar complicações para alguns tipos de cirurgias refrativas corneanas", explica o oftalmologista. 

Proteção dos olhos 

Os efeitos da radiação UV sob a pele são cumulativos. "Quanto mais você se expõe aos raios UV, maiores serão os riscos, com o passar dos anos, de surgirem problemas de visão. É aconselhável, sempre, o uso de óculos escuros de boa qualidade e que ofereçam proteção adequada aos olhos, não apenas durante o verão, mas durante todo o ano", afirma a oftalmologista Sandra Alice Falvo, que também integra o corpo clínico do IMO.

Segundo a médica, "bons óculos escuros devem bloquear entre 99-100% as radiações UV-A e UV-B; não devem distorcer imagens ou mudar as cores e devem ter lentes cinzas, verdes ou marrons, capazes de filtrar entre 75-90% da luz visível", diz Sandra. Os óculos de grau também devem ter proteção UV. "Bonés, viseiras e chapéus oferecem proteção adicional, quando precisamos passar muitas horas sob a luz solar", destaca a médica.  

O que é o pterígio?  

Causado pelo excesso de exposição ao sol, o pterígio é um processo degenerativo da conjuntiva que pode se estender até a córnea, causando distorção da visão. "Popularmente, é conhecido como 'carne no olho'. Na maioria dos casos aparece no canto interno do olho (nasal) e, em raras ocasiões, no lado temporal", explica Sandra Alice Falvo. 

O pterígio acomete indivíduos que habitam principalmente países de clima tropical, localizados próximo à linha do Equador e que trabalham expostos ao sol. Assim, a incidência do problema é grande entre pescadores e surfistas. 

"Geralmente, o paciente queixa-se de sensação de corpo estranho, ardor ocular e olhos vermelhos. Pode haver também sinais de conjuntivite crônica, espessamento da conjuntiva e sintomas de conjuntivite moderada. O diagnóstico é feito através do exame físico e complementado pelo exame biomicroscópico", explica Sandra Alice Falvo. O tratamento do pterígio é cirúrgico e pode ser indicado tanto por razões estéticas quanto pela diminuição da acuidade visual.

Postado por: Claudia Moraes  

veja também