Extrato de melão amargo diminui células da doença

Extrato de melão amargo diminui células da doença

Atualizado: Terça-feira, 2 Março de 2010 as 12

O câncer de mama é o segundo tipo da doença mais frequente no mundo. Só no Brasil, de acordo com o Instituto Nacional de Câncer (Inca), são esperados 49.400 novos casos em 2010. Um possível alento para esses números é o resultado de uma pesquisa americana que constatou que o extrato de melão amargo (Momordica charantia) pode diminuir o crescimento das células da patologia.

Os cientistas utilizaram células humanas de câncer de mama e cultura primária de células epiteliais mamárias humanas in vitro. "Nossos resultados sugerem que o extrato de melão amargo modula vários caminhos de transdução de sinal, o que induz a morte das células de câncer de mama", disse a líder da pesquisa, Ratna B. Ray, da Universidade de Saint Louis, ao site Science Daily.

A equipe está planejando um teste com o intuito de avaliar o efeito preventivo que a ingestão do produto proporcionaria. As conclusões atuais foram divulgadas na publicação especializada Cancer Research.

O melão amargo é uma planta medicinal, utilizada no tratamento de diabetes e feridas, por exemplo. Cresce em áreas tropicais na Ásia, na região Amazônica, no leste da África e nas Ilhas do Caribe. É cultivado também no sul de Kyushu, Japão, devido ao clima subtropical.

Postado por: Felipe Pinheiro

veja também