Ficar em quarto separado na UTI reduz infecção hospitalar em 50%

Ficar em quarto separado na UTI reduz infecção hospitalar em 50%

Atualizado: Quarta-feira, 12 Janeiro de 2011 as 9:03

Não é só uma questão de privacidade. Um levantamento feito por pesquisadores canadenses revelou que o número de infecções hospitalares em uma UTI cai 50% se o paciente estiver em um quarto isolado. Além disso, a medida também faz diminuir o tempo de permanência do paciente na UTI e o custo do tratamento.

Os resultados são importantes porque as unidades de terapia intensiva são as que mais sofrem com infecções hospitalares, já que os pacientes, bastante debilitados, ficam mais expostos a agentes infecciosos.

Os autores do estudo, do Centro Médico da Universidade McGill (Canadá), avaliaram os pacientes que tinham sido transferidos de quartos compartilhados na UTI do hospital para quartos separados.

De acordo com Dana Teltsch, autora do estudo, os resultados mostraram que, após serem transferidos, os pacientes em unidades isoladas sofreram 50% menos infecções por três tipos de bactérias: a Staphylococcus aureus resistente à meticilina (SARM), a Clostridium difficile e a Enterococcus resistente à vancomicina (VRE, na sigla em inglês).

- Nós também observamos que os pacientes isolados ficaram 10% menos tempo na UTI.

Dana ressalta ainda que, com menos infecções, o custo do tratamento também cai consideravelmente. Para se ter uma ideia, cada infecção por Clostridium difficile custa em torno de R$ 11.760 (US$ 7 mil), diz a pesquisadora.

Segundo Vivian Loo, microbióloga do hospital, esse é o primeiro estudo a avaliar os benefícios dos quartos individuais nas UTIs.

- A infraestrutura hospitalar tem um papel importante na prevenção de doenças hospitalares. Outros fatores também são importantes, como higiene das mãos e uso consciente de antibióticos, mas o estudo mostra que é crucial investir em quartos individuais.

veja também