Frio X Pele: Dermatologista ensina como amenizar os sintomas das doenças mais comuns no inverno

Frio X Pele: Dermatologista ensina como amenizar os sintomas das doenças mais comuns no inverno

Atualizado: Sexta-feira, 23 Maio de 2008 as 12

Com a chegada do inverno a pele necessita de uma atenção maior. O frio e a diminuição da umidade relativa do ar trazem uma série de problemas decorrentes do ressecamento.

A pele seca é a que sofre mais, intensificando problemas como alergias ou moléstias de origem genética, por exemplo, a psoríase, ictioses e outras. O mais importante, nestes casos, é tentar compensar os efeitos com o uso produtos à base de óleo de amêndoa, aloe vera, uréia, vegellip e outros. A utilização de hidratantes em períodos diferentes do banho completa os cuidados.

As oleosas tendem a ficar mais gordurosas, pois têm a capacidade de aumentar a secreção para se proteger do frio, ocasionando a acne e a seborréia. Neste tipo de derme, o melhor é utilizar os hidratantes em forma de gel, que não têm base oleosa, protege do frio e minimiza o aparecimento de espinhas e cravos.

Uma recomendação que vale para todos é diminuir o tempo de permanência no banho e a temperatura da água. Assim, a pele não perde em excesso o manto hidrolípidico, ou seja, a oleosidade natural. Importante também é usar sabonetes nas partes do corpo mais sujeitas ao suor como axilas, virilhas e pescoço. E, ao final da ducha, com a pele ainda umedecida, utilizar óleos para lubrificação, enxugando-se depois.

Dentro das novidades, podemos salientar o Glistin, um dipeptídeo neuroprotetor, com ação antioxidante, cuja principal ação é proteger as funções vitais e manter a qualidade da pele do ponto de vista metabólico e imunológico.

O Commipheroline é uma oleoresina (extratos ou óleos altamente concentrados) extraída de uma árvore indiana chamada Commiphora mukul, que impede a quebra da molécula de gordura, chamada de lipólise, nos adipócitos (células de gordura) aumentando a quantidade de triglicérides intracelulares, promovendo a correção de rugas e até o aumento dos seios.

Aparecimento de novos compostos de ácido hialurônico para preenchimentos, que por novas estruturas químicas, mantém a sua habitual segurança de aplicação, mas com uma durabilidade muito maior. Podemos utilizá-los para corrigir rugas, sulcos ou para contorno e aumento dos lábios.

veja também