Gengivite e outras infecções podem ser agravadas durante a gravidez

Gengivite e outras infecções podem ser agravadas durante a gravidez

Atualizado: Quinta-feira, 8 Setembro de 2011 as 11:01

Durante a gravidez, a atenção com a saúde deve ser dobrada. A saúde bucal segue a mesma regra, embora não apenas durante este período os cuidados com a cavidade oral sejam de extrema importância.

As pessoas tendem a acreditar que o bebê é culpado pelas mudanças que acontecem nos dentes e gengivas, porém é importante saber que a gravidez não inicia nenhuma doença, mas apenas agrava uma condição. Portanto, não culpe seu bebê se suas gengivas sangram.

Gengivas inchadas, vermelhas e que sangram com facilidade sinalizam a gengivite, que é uma resposta inflamatória ao acúmulo de placa bacteriana. Sem o acúmulo de placa bacteriana não há gengivite, portanto mesmo durante a gravidez não haverá sangramento gengival.

Mas, por que algumas pessoas só percebem o sangramento gengival durante a gravidez? Isso acontece porque a gestação pode exacerbar a gengivite, o que significa que ela já poderia existir antes deste período, mas de forma mais amena. O sangramento produzido pela gengivite em uma pessoa que não esteja grávida pode se misturar à saliva, camuflando a condição.

Mas isso não significa que a gengivite só tenha importância durante o período da gestação. Gengivas que sangram sinalizam a ausência de saúde, e essa condição pode ser maléfica tanto para a mãe como para seu bebê.

Com o acúmulo de placa bacteriana, após a instalação da gengivite, alguns indivíduos podem desenvolver uma resposta inflamatória local ainda mais severa, que é a reabsorção de osso e ligamentos que envolvem o dente, desenvolvendo a doença periodontal. A doença periodontal pode levar à perda dos dentes, se a reabsorção óssea for severa o suficiente a ponto de não oferecer mais suporte para eles.

Além disso, estudos mostram que infecções maternas podem afetar o período de gestação, induzindo o parto prematuro (definido como parto com menos de 37 semanas de gestação). Parto prematuro muitas vezes ocasiona o nascimento de bebês com baixo peso (bebês com menos de 2,5kg), que têm maior risco de desenvolver complicações durante o período neonatal.

A doença periodontal, por ser uma infecção, poderia também induzir o parto prematuro. Mesmo com essa hipótese relativamente nova, as pesquisas ainda não conseguem definir uma relação certa entre essas duas condições. Mas, por que arriscar, se prevenir é tão fácil? Para evitar a perda de dentes e garantir que sua cavidade bucal não influencie sua gestação, basta bons hábitos de higiene oral e visitas regulares ao dentista.

A escovação adequada e frequente, aliada ao uso diário de fio dental são essenciais para uma boa higiene oral. Além disso, a visita ao dentista garante uma limpeza que não conseguimos realizar no dia a dia e ajuda a evidenciar qualquer condição que não seja compatível à saúde.

veja também