Gestantes mais conscientes aumentam o número de atendimentos pré-natal

Gestantes mais conscientes aumentam o número de atendimentos pré-natal

Atualizado: Segunda-feira, 1 Setembro de 2008 as 12

O percentual de mulheres que realizaram a primeira consulta pré-natal antes de completar três meses de gestação aumentou de 66% para 82,5% em 10 anos, no período de 1996 a 2006, segundo Pesquisa Nacional de Demografia e Saúde (PNDS-2006), financiada pelo Ministério da Saúde. O índice comprova que as grávidas estão mais conscientes sobre a importância do acompanhamento pré-natal.

"O acompanhamento pré-natal com o especialista durante todo o período da gravidez tem objetivo prevenir e tratar prontamente intercorrências e diagnosticar doenças maternas previamente existentes evitando doenças e traumas futuros para a criança. A proposta é chegar ao final da gestação com mãe e bebê saudáveis", explica o ginecologista e obstetra Clóvis Antônio Bacha.

Alguns exames básicos como pesquisa de toxoplasmose, de sífilis, hemograma completo, grupo sangüíneo e glicemia são realizados logo no início do acompanhamento, justamente para detectar alguma alteração que possa ser tratada. Através do ultra-som, é possível descobrir casos de malformações congênitas, suspeitar de alterações genéticas e no crescimento e desenvolvimento do bebê, entre outros.

A pré-eclâmpsia, comum na gestação e conhecida como pressão alta durante a gravidez, é a principal responsável pela mortalidade fetal e materna no mundo. A doença pode se agravar se não for tratada e se transformar em eclâmpsia. Segundo Bacha, o problema pode ser prevenido através de medições regulares da pressão arterial e do uso de medicamentos, que o obstetra prescreve nas consultas de pré-natal.

De acordo com Bacha, todo e qualquer medicamento a ser utilizado tem que ser previamente prescrito pelo obstetra, pois se for usado incorretamente pode trazer conseqüências graves para o bebê e para a mãe. A automedicação é totalmente contra-indicada. A atenção também é válida para o álcool e para o fumo. Os médicos aconselham iniciar o pré-natal o quanto antes e só terminar quando ocorrer o parto.

Postado por: Claudia Moraes

veja também