Governo anuncia inclusão de duas novas vacinas no calendário infantil

Calendário infantil tem duas novas vacinas

Atualizado: Quinta-feira, 19 Janeiro de 2012 as 11:27

Governo anuncia inclusão de duas novas vacinas no calendário infantil
Uma é a pentavalente, que combina a atual tetravalente com a vacina contra hepatite B. A outra é a vacina injetável contra a poliomielite. Objetivo é diminuir o número de aplicações de vacinas e aumentar a segurança.
 
Foram anunciadas, nesta quarta-feira (18), mudanças no calendário de vacinação das crianças para o segundo semestre. O objetivo é diminuir o número de aplicações de vacinas e aumentar a segurança, no caso da poliomielite. Mas até lá, a recomendação do Ministério da Saúde é de que os pais sigam o calendário atual.
 
Duas novas vacinas serão incorporadas ao calendário de vacinação de rotina a partir de agosto.
 
Uma delas é a pentavalente, que combina a atual tetravalente - contra difteria, tétano, coqueluche e meningite bacteriana, com a vacina contra a hepatite B.
 
Ela será produzida em parceria entre a fundação Osvaldo Cruz e o Instituto Butantã. Segundo o Ministério da Saúde, a nova vacina vai trazer economia para o governo e menos dor para as crianças. “Reduz dor porque reduz picadas. São cinco doenças em uma vacina só”, avalia o ministro da Saúde, Alexandre Padilha.
 
A outra novidade é a introdução da vacina injetável contra a poliomielite. Ela é produzida com vírus inativado e dá 100% de proteção contra a doença. A vacina oral, em gotas, encontrada atualmente nos postos de saúde e aplicada durante as campanhas, tem o vírus ativo atenuado. Ela oferece um risco mínimo: uma criança em até 4 milhões que recebem as gotinhas pode desenvolver a pólio.
 
O Ministério da Saúde diz que a aplicação da vacina inativada contra a poliomielite não acaba com a campanha nacional de imunização, aquela das gotinhas, que têm o vírus ativado. A duas serão ministradas paralelamente. Mas o ministério esclarece que a nova vacina, que é injetável, só será usada em recém-nascidos, que estão iniciando o calendário de vacinação.
 
O calendário de vacinação contra a pólio vai ficar assim: aos 2 e 4 meses, doses injetáveis; aos 6 e 15 meses, doses orais; e a partir daí até os 5 anos de idade, a criança deverá tomar as doses de reforço da vacina oral, nas campanhas do Zé Gotinha.
 
No Brasil, a pólio é considerada erradicada desde 1994. Nos últimos 20 anos, houve apenas 46 casos notificados da doença. Com a vacina injetável, o país colabora com a luta para erradicar a pólio no mundo.
 
“A vacina inativada vai dar uma proteção mais duradoura e, com isso, o Brasil segue junto com a Organização Mundial de Saúde na tentativa de erradicação da poliomielite”, explica Claudia Valente, presidente da Sociedade Brasileira de Imunizações do DF.

veja também