Água de coco em pó pode ser usada como conservante de órgãos transplantados

Água de coco em pó pode ser usada como conservante de órgãos transplantados

Atualizado: Sexta-feira, 22 Janeiro de 2010 as 12

No title O professor José Nunes Ferreira, pesquisador da Universidade Estadual do Ceará (Uece), recebeu o título de Industrial do Ano, na categoria Inovação Tecnológica, do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp). De acordo com os organizadores da premiação, a escolha do nome do cientista ocorreu por causa de seu trabalho de conversão da água de coco em pó, mantendo suas propriedades nutritivas.

O produto desenvolvido por José Nunes e sua equipe, que se encontra na linha de pesquisa do Programa de Pós-Graduação em Ciências Veterinárias e da Rede Nordeste de Biotecnologia (Renorbio), tem múltiplas aplicações. Pode ser usado na medicina, como conservante de órgãos transplantados e como membrana para queimaduras, na veterinária, como diluente em processos de inseminação artificial de animais e na agroindústria, para aumentar o tempo de duração das vacinas para as aves.

Na área de tecnologia de alimentos, a água de coco em pó pode ser a base para bebidas isotônicas destinadas a atletas ou para reidratação de crianças. Uma das suas principais vantagens, de acordo com o professor, é que ela mantém as características originais, tem prazo de validade maior e custo mais baixo em relação a outros diluentes. Outro benefício é que ele é dispensa conservantes. "Esse estado, em pó, traz estabilidade e permite a conservação dos nutrientes. Por isso, não precisa de estabilizador químico", ressalta.

José Nunes acredita que a premiação em São Paulo se deve a uma exposição, feita para grandes indústrias do estado, em julho do ano passado, sobre a água de coco em pó. Ele adianta que os empresários ficaram bem impressionados com o produto e já existem duas empresas & uma do setor de cosméticos e outra de gêneros alimentícios estudando o desenvolvimento de produtos & o cientista pediu para não revelar os nomes, porque as empresas, por razões de mercado, alegam a necessidade de sigilo enquanto os produtos não forem lançados.

"Eles estão fazendo os ensaios preliminares e os resultados têm sido positivos", diz o professor. A primeira quer lançar um creme com nutrientes para a pele. E a outra pretende desenvolver um gel de carboidratos, destinado a atletas, que usa uma combinação de água de coco em pó com mel & tendo como base outro trabalho pioneiro desenvolvido pelos pesquisadores da Uece.

E-Mais

- Segundo o professor José Nunes, outro processo também em andamento é o de obtenção da patente do método de fabricação da água de coco em pó.

- Por isso, José Nunes informa apenas algumas linhas gerais do procedimento. De acordo com o professor, a água de coco é produzida através da liofilização (secagem por congelamento a vácuo) e o rendimento é de aproximadamente 20%.

Por Sílvio Mauro

veja também