Homens optam pela doação de esperma por motivos de saúde e vontade de ajudar

Homens optam pela doação de esperma por motivos de saúde e vontade de ajudar

Atualizado: Segunda-feira, 18 Outubro de 2010 as 9:17

Diferentemente do que acontece com as mulheres, que precisam tomar hormônios para doar óvulos, o processo de retirada do sêmen no homem é muito mais simples, pois não envolve procedimentos químicos, apesar de também demandar tempo. Ao contrário de outros países, no Brasil é proibido ganhar dinheiro com esse tipo de doação.

Para ser um doador de esperma, deve-se ter entre 18 e 45 anos e não ter doenças infecciosas ou genéticas. Ao se apresentar na clínica, o voluntário faz um espermograma, que irá definir a qualidade de seu esperma. Depois ele passa por uma espécie de triagem com um urologista, que pede que ele responda a um questionário referente a doenças e questões pessoais.

Em seguida, passa por outros exames, desde os clínicos para medir pressão e batimentos cardíacos até testes no aparelho reprodutor, que detectam doenças infectocontagiosas e DSTs (Doenças Sexualmente Transmissível). Por último, os exames de sangue, que apontam possíveis doenças hereditárias, como alterações nos cromossomos ou na hemoglobina.

Segundo a diretora do banco de sêmen Pro-seed, Vera Feher Brand, o ideal é que o homem produza no mínimo 50 milhões de espermatozoides por mililitro, com mais de 50% deles com mobilidade para chegar ao óvulo. Com menos do que isso, o homem não está apto para ser um doador.

Se tudo estiver certo, o voluntário é encaminhado a uma sala reservada, com um frasco em mãos, onde fará a coleta por meio da masturbação – estimulada, ao gosto do doador, por filmes e revistas eróticas. Após aprovadas, as amostras são catalogadas segundo um perfil com as características físicas e sociais de cada doador anônimo.

No entanto, dada a pouca presença de voluntários mensalmente no Pro-seed, os doadores devem se prontificar a fazer seis doações. Em cada uma, o homem deve estar a três dias em abstinência sexual e de masturbação, diz Vera.

- A gente pede seis doações porque nem sempre a mulher engravida na primeira inseminação.

Além de ajudar homens inférteis, a doação de sêmen também pode ser útil para o próprio voluntário. Tanto que na Pro-seed 60% dos pacientes preservam o sêmen por estarem em tratamento pré-quimioterapia e pré-radioterapia; 20% em pré-vasectomia e 20% por indicações para tratamento de fertilidade, entre outras doenças.

A doação de sêmen é indicada também para homens que vão passar por cirurgia de próstata ou de testículo, em pacientes com varicocele, com oligospermia (baixa produção de espermatozoides), com caxumba; já que todos podem afetar a fertilidade.

veja também