Hospitais se preparam para a Copa e liberam jogos até na UTI

Hospitais se preparam para a Copa e liberam jogos até na UTI

Atualizado: Sexta-feira, 4 Junho de 2010 as 8:42

O clima de Copa do Mundo já chegou aos hospitais de São Paulo. O Instituto Central do Hospital das Clínicas [foto], da Faculdade de Medicina da USP (Universidade de São Paulo), por exemplo, instalou um telão de 5m x 4m, com imagem digital, no prédio dos ambulatórios, para os pacientes poderem assistir aos jogos do Brasil sem interromperem seu tratamento.

Para os pacientes de outras áreas do hospital localizado na região oeste de São Paulo, o HC deixará todas as suas 291 televisões ligadas nas partidas, incluindo salas de espera, salas de internação, centro cirúrgico e conforto médico, segundo o diretor-executivo do Instituto Central do HC, Carlos Suslik.

O prédio também foi decorado com enormes faixas verdes e amarelas de 33 metros suspensas no teto, bandeiras e cordões.

Além dos pacientes, funcionários da área administrativa e médicos terão acesso a outro telão, um pouco menor, no anfiteatro. Mas essa "mordomia" não se estende aos profissionais que estiverem atuando no pronto-socorro e na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) na hora dos jogos, de acordo com Suslik.

- Funcionários assistenciais que estiverem nas áreas críticas não poderão assistir aos jogos em suas áreas, nem sair. Isso inclui a enfermagem, médicos, psicólogos, terapeutas, todos que lidam direto com os pacientes.

TV na UTI

No hospital Sírio-libanês, na região da Avenida Paulista, até a UTI terá espaço para os jogos, de acordo com o superintendente de gestão de pessoas e qualidade do hospital, Fábio Patrus.

- A UTI tem vários leitos com espaço para acompanhantes e todos com TV. Se for opção do paciente ligá-la, ele poderá fazer isso sem restrição. Só não poderá se houver recomendação médica.

A possibilidade não se estende às salas de pós-operatório dentro da UTI, afirma.

No Sírio, os vários auditórios de seu Instituto de Ensino e Pesquisa terão telões para funcionários da área administrativa e médica poderem assistir aos jogos. Segundo Patrus, a ideia é promover um momento de lazer aos funcionários sem descontar do banco de horas.

- Vamos dar uma camisa de cortesia para todos os funcionários e servir guloseimas, pipocas e sorvetes nos anfiteatros para manter o momento de confraternização.

A "mordomia" não será estendida aos pacientes nem aos funcionários das áreas assistenciais, mas, segundo o superintendente do hospital, todas as salas de internação e as áreas livres do hospital têm televisões que estarão ligadas nos jogos, inclusive no pronto-socorro, que servirão para os pacientes e acompanhantes.

Comida verde e amarela

No hospital Samaritano, na região central, até a alimentação terá as cores da seleção brasileira.

A bandeja que chegar ao quarto estará devidamente decorada com uma bandana, o papel que a reveste terá o placar e o calendário da Copa e os pratos estarão ornados com bandeirinhas. Em dias específicos de jogos, o cardápio será exclusivo de culinária típica brasileira, segundo Cristina Collina, assessora de comunicação corporativa do Hospital Samaritano.

- Até a massa vai ser verde e amarela e nos dias dos jogos a sobremesa terá bandeirinhas do Brasil e do país que a seleção for enfrentar.

As televisões tela plana espalhadas nas recepções de cada setor do hospital e nas áreas de conforto estarão sintonizadas nos jogos para garantir que acompanhantes e pacientes assistam aos jogos.

Assim como na última Copa, Cristina espera um movimento menor no hospital em dias de jogos. No entanto, como nos demais hospitais, diz que vai manter a restrição aos funcionários da área assistencial, pois "quem presta atendimento, desde enfermeiros, ao serviço de diagnostico e de atendimento ao consumidor, infelizmente não têm como parar, porque têm que estar na área para atender".

Bolão para pacientes

O Hospital TotalCor, na região dos Jardins, especializado em atendimento cardiológico em São Paulo, vai promover um bolão chamado "Arrisque seu palpite" pelo qual pacientes e acompanhantes internados poderão opinar sobre os resultados dos jogos do Brasil. Os acertadores terão direito a brindes, como camisas personalizadas. Os palpites serão feitos jogo a jogo, sendo que cada quarto pacientes e acompanhantes terão direito a um palpite único.

Para sorte dos funcionários da equipe assistencial e do corpo clínico, a direção do hospital vai fazer uma escala de revezamento para que todos tenham a oportunidade de assistir a jogos do Brasil na Copa.

Por: Camila Neumam

veja também