Hospitalar 2008: empresas de 33 países mostram novidades para saúde

Hospitalar 2008: empresas de 33 países mostram novidades para saúde

Atualizado: Quinta-feira, 12 Junho de 2008 as 12

São Paulo será sede, nos dias 10 a 13 de junho próximo, da maior feira de saúde e mais importante fórum do setor na América Latina, a HOSPITALAR - Feira Internacional de Produtos, Equipamentos, Serviços e Tecnologia para Hospitais, Laboratórios, Farmácias, Clínicas e Consultórios, que nesta edição completa 15 anos voltados ao mercado de saúde.

O evento acontece nos pavilhões Expo Center Norte, na capital paulista, onde 1.100 empresas expositoras, representando 13 Estados brasileiros e um total de 33 países, apresentarão seus lançamentos em produtos, equipamentos e serviços para utilização em hospitais, clínicas, laboratórios e consultórios.

A edição 2008 mostra crescimento de 20% sobre o ano anterior, ocupando um total 75.000 m2 com exposição e área para congressos.

Por seu caráter multisetorial e internacional (são mais de 370 empresas estrangeiras), a HOSPITALAR oferece aos dirigentes e administradores de hospitais, médicos, enfermeiros e demais profissionais da área uma visão ampla e comparativa do que existe de mais atual na saúde mundial.

Por isso, a visitação da feira cresce e se qualifica a cada edição. Em 2007, cerca de 76.000 profissionais da saúde visitaram a HOSPITALAR, número que a direção do evento prevê superar nesta 15ª edição. Empresas líderes de mercado - brasileiras e estrangeiras - escolhem a feira para apresentar seus novos produtos e desenvolver negócios junto a compradores de todo o Brasil e países latino-americanos.

A médica e empresária Waleska Santos, que fundou e preside a HOSPITALAR desde a primeira edição, destaca que o evento funciona "como o mais importante ponto de encontro do setor de saúde na América Latina. Além de promover a atualização dos hospitais e estabelecimentos de saúde com as múltiplas alternativas de produtos, qualidade, preço e serviços, a feira incentiva e promove a discussão de novas políticas de atendimento médico que resultem em mais qualidade para a população e menos custos para os organismos de saúde pública e privada".

Postado por: Claudia Moraes

veja também