Instituto do Câncer é hospital mais bem avaliado da capital

Instituto do Câncer é hospital mais bem avaliado da capital

Atualizado: Quinta-feira, 4 Março de 2010 as 12

Menos de dois anos após entrar em funcionamento, o Icesp (Instituto do Câncer do Estado de São Paulo Octavio Frias de Oliveira) foi considerado o segundo melhor hospital do SUS no Estado, segundo pesquisa da Secretaria da Saúde que avaliou a satisfação dos usuários.

Já o Hospital das Clínicas de São Paulo-considerado referência em atendimento no Brasil e na América Latina- mais uma vez não entrou no ranking. O InCor (Instituto do Coração), que estava na sétima posição em 2008, não aparece mais.

Esta é a segunda vez que a secretaria realiza o "provão do SUS" -que avalia o grau de satisfação dos usuários por meio de um questionário sobre atendimento, qualidade das acomodações e tempo de espera para exames ou internações.

Desta vez, 158 mil pacientes participaram do levantamento, realizado em 630 estabelecimentos conveniados entre março de 2009 e janeiro de 2010. Os resultados da pesquisa foram divulgados ontem.

O primeiro colocado no ranking foi o Hospital Estadual de Ribeirão Preto, seguido do Icesp e do Hospital do Câncer Pio XII, de Barretos.

O oncologista Paulo Hoff, diretor clínico do Icesp, disse que os resultados refletem o reconhecimento dos pacientes sobre o trabalho realizado pelo hospital. Para ele, a nota pode ser atribuída ao esforço da equipe para manter um atendimento humanizado. "O paciente com câncer é diferenciado, as consultas são mais longas, há acompanhamento psicológico. Tudo isso se reflete em um tratamento altamente resolutivo."

Segundo o secretário da Saúde, Luiz Roberto Barradas Barata, o Icesp "foi pensado e planejado" para ser um hospital humanizado. "Isso sem dúvida faz a diferença. Posso afirmar que há hospitais públicos no mesmo nível dos melhores centros privados de saúde do Brasil, como é o caso do Icesp."

Apenas dois entre os dez hospitais mais bem avaliados no ano passado continuaram no ranking neste ano -Hospital Amaral Carvalho e Hospital de Reabilitação de Anomalias Craniofaciais (Centrinho).

Outros hospitais de referência, como o Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia e o Hospital do Rim e Hipertensão, que estavam na lista de 2008, não aparecem no ranking atual.

Para o secretário da Saúde, Luiz Roberto Barradas Barata, isso é positivo. "A oscilação significa que os hospitais estão se empenhando em atender com qualidade os pacientes. E este 'provão' é um dos instrumentos de incentivo, porque nada melhor do que o hospital ser bem avaliado pelo paciente", afirma.

O superintendente do HC, José Manuel de Camargo Teixeira, foi procurado pela reportagem, mas informou, por meio da assessoria de imprensa, que não tinha conhecimento dos resultados do ranking e, por isso, não iria se manifestar.

Postado por: Felipe Pinheiro

veja também