Já acordava pensando em cigarro, conta ex-fumante

Já acordava pensando em cigarro, conta ex-fumante

Atualizado: Terça-feira, 31 Maio de 2011 as 11:13

A dentista Léa Márcia Fogaça, 51, fumou por quase 40 anos. Depois de várias tentativas, pensa que, agora, vai abandonar o vício.   "Comecei a fumar aos 12 anos, minha avó me ensinou.

Naquela época, era comum reunir minhas tias e primas e todas fumavam.

Como tempo, minha média passou a ser um maço por dia. Fumava em todas as situações, só parava quando estava atendendo os pacientes.

Mesmo assim, a cada intervalo, corria para fumar um cigarrinho.

Fumava até a hora de dormir e já acordava pensando em cigarro.

Há cinco anos resolvi parar.

Meu marido deixou o cigarro há 11 anos e fazia pressão para que eu parasse também. Em casa, eu só fumava na varanda.

Tentei várias vezes fazer isso sozinha, mas não consegui.

Sou estressada, ansiosa, e o cigarro sempre foi meu porto seguro.

Cheguei a fazer um tratamento com Champix, mas tive que interromper. Tenho fibromialgia e, na época, as dores musculares ficaram intensas e minha médica pediu para cortar o remédio.

Consegui ficar um ano sem fumar, mas, não resisti.

A vontade foi maior. Há cinco meses, resolvi tentar de novo, dessa vez com esse método [PAF]. Começamos com o Champix, depois associamos a fluoxetina [antidepressivo] e, por último, a bupropiona.

Só depois desses ajustes É que consegui lidar melhor com a abstinência. Não estou mais tão ansiosa.

De vez em quando, sinto vontade, especialmente em ambientes sociais com pessoas fumando e bebendo ou em situações de mais estresse.

Mas,dessa vez, sinto que é para valer."  

veja também