Óleo de peixe pode reduzir risco de câncer de mama

Óleo de peixe pode reduzir risco de câncer de mama

Atualizado: Terça-feira, 13 Julho de 2010 as 9:08

Um estudo recente publicado no Cancer Epidemiology, Biomarkers & Prevention, um jornal da American Association for Cancer Research, realça a crescente evidência de que suplementos à base de óleo de peixe podem desempenhar importante papel na prevenção de doenças crônicas.

Pesquisadores do Fred Hutchinson Cancer Research Center de Seattle, no estado da Filadélfia, nos Estados Unidos, submeteram cerca de 35.000 mulheres, que estavam no período de pós-menopausa e que não tiveram histórico de câncer de mama a um questionário sobre o uso de suplementos alimentares. Após seis anos de atualização da pesquisa, 880 casos de câncer foram identificados, porém o uso regular de suplementos de óleo de peixe, que contém altos níveis de ácidos graxos Ômega 3, EPA e DHA, foi associado a uma redução de 32% de incidência do câncer de mama, principalmente do câncer de mama ductal invasivo, que é o tipo mais comum da doença.

O ômega 3, contido no óleo, é um ácido graxo poli-insaturado que, juntamente com ácido docosaexaenóico (DHA), tem mostrado inúmeros benefícios à saúde.

Outros estudos são necessários

Este estudo é o primeiro a demonstrar uma ligação entre o uso de suplementos de óleo de peixe e a redução no câncer de mama. Outros estudos de dietas baseadas apenas em peixes ou ácidos graxos de Ômega-3 já haviam sido realizado anteriormente, porém seus resultados não foram tão consistentes. "Isso deve ocorrer, pois a quantidade de ácidos graxos Ômega-3 presentes nos suplementos de óleo de peixe são maiores do que as pessoas normalmente ingerem em sua dieta", explica Emily White, uma das autoras do estudo.

Entretanto, é recomendável alertar sobre as indicações baseadas apenas em um estudo. Para o cientista Edward Giovannucci, professor de nutrição e epidemiologia da Harvard School of Public Health e membro da Cancer Epidemiology, Biomarkers & Prevention, é muito raro que apenas um estudo seja utilizado como padrão para recomendações. "Depois de um período de tempo, os estudos começam a confirmar uns aos outros, aí então podemos começar a fazer recomendações", alerta o especialista.

O óleo também alivia o estresse nas mulheres

No ano passado, o American Journal of Clinical Nutrition relatou o resultado de um estudo clínico canadense, que constatou um efeito benéfico do óleo de peixe em mulheres de meia idade, que sofriam com estresse psicológico.

Foram estudadas 120 mulheres com idades entre 40 e 55 anos, em situação considerada de estresse moderado a grave, que por vezes podem ocorrer durante a transição para a menopausa e a menopausa precoce. Durante a análise, os pesquisadores observaram que ácidos graxos poli-insaturados são necessários para as membranas celulares do cérebro, e que uma deficiência de ácidos graxos ômega 3 pode ter impacto na transmissão da serotonina, hormônio envolvido no humor e bem-estar.

Além dos benefícios sobre o estresse em mulheres, o Ômega-3 favorecem o fortalecimento do sistema imunológico, contribuem para a redução dos níveis de colesterol e regulam a fluidez do sangue. Como o organismo não pode produzi-los, estes elementos precisam ser introduzidos na nossa alimentação ou fornecidos por suplementos nutricionais.

A dieta alimentar é a melhor fonte de ácidos Ômega-3. O óleo de alguns peixes de águas geladas, como sardinha, salmão, atum, cação, cavala, bacalhau e arenque, possui altas concentrações de Ômega-3.

O ácido alfa linolênico (um, entre os três, da família Ômega-3) pode ser encontrado na vagem, no feijão e na soja, sendo que, entre os vegetais, seu mais alto teor está na semente da linhaça.

Postado por: Felipe Pinheiro

veja também