Má alimentação aumenta erosão dentária entre crianças de 3 a 4 anos

Má alimentação aumenta erosão dentária entre crianças de 3 a 4 anos

Atualizado: Terça-feira, 26 Janeiro de 2010 as 12

No title Uma pesquisa da Faculdade de Odontologia da USP (Universidade de São Paulo) constatou que a erosão dentária causada por ácidos gástricos ou presentes na dieta já atinge metade das crianças em idade pré-escolar.

A pesquisa foi realizada com 967 crianças entre 3 e 4 anos, com a dentição decídua completa (não definitiva, conhecida como dentes de leite), na cidade de Diadema, na Grande São Paulo.

O estudo da dentista Christiana Murakami compara um maior número de casos de erosão entre crianças com refluxo gastroesofágico e a ingestão frequente de sucos ácidos e refrigerantes como indicador de risco para a doença.

- Em 51,6% dos participantes do estudo já havia desgaste patológico por erosão, sendo que a maioria das lesões erosivas encontrava-se em estágio inicial, acometendo o esmalte dos dentes. "Trata-se de um número alarmante, devido a pouca idade das crianças", afirma a dentista.

Refrigerantes e sucos industrializados

Ainda segundo Christiana, a mudança dos hábitos alimentares, que possibilitam crianças muito pequenas terem acesso a alimentos industrializados, piora o quadro.

- O consumo de refrigerantes mais de duas vezes ao dia e o consumo de sucos ácidos nos dois dias anteriores ao levantamento mostram-se indicadores de risco da doença. Até mesmo um suco de frutas naturais, espremidas na hora, expõe os dentes aos malefícios dos ácidos, afirma.

Os sucos industrializados, muito consumidos pelos pré-escolares, apresentam maiores riscos, pois também possuem ácidos que são adicionados durante a elaboração do produto.

- Muitos pais sabem que os refrigerantes fazem mal para os dentes por causa do açúcar que causa a cárie, mas desconhecem os malefícios ácidos contidos nos mesmos e nos sucos artificiais como os de caixinha, em pó ou concentrados, ressalta a dentista.

Christiana sugere restringir o consumo de bebidas ácidas às crianças, ou oferecê-las junto com canudos, posicionado na língua, não na frente dos dentes.

- Como a erosão é um processo cumulativo, se for detectado desgaste patológico, é possível alertar pais e educadores sobre os riscos dos ácidos, especialmente aqueles presentes na dieta das crianças, afirma.

Um outro problema apontado por Christiana é a falta de conhecimento de seus colegas de trabalho para diagnosticar a erosão nas crianças. Por isso, a dentista recomenda que as crianças não escovem os dentes imediatamente após a ingestão de sucos ácidos e refrigerantes, e em caso de vômito. Mas, sim, façam um bochecho com água ou enxaguatório bucal neutro antes de escová-los.

- Como os ácidos ainda estão em contato com os dentes, amolecendo o seu esmalte, o uso da escova provocará abrasão e desgastará ainda mais o esmalte.

veja também