Mais saúde com menos gorduras trans

Mais saúde com menos gorduras trans

Atualizado: Quarta-feira, 2 Abril de 2008 as 12

Tipo de gordura bastante prejudicial, a chamada gordura trans tem se destacado como a vilã das doenças cardiovasculares. Até bem pouco tempo atrás este posto era da gordura saturada.

Agora, as atenções de médicos e nutricionistas se voltaram para os efeitos da gordura trans, que podem ser ainda piores.

Provavelmente você não costuma ouvir falar muito dela, mas está presente em diversos alimentos que consumimos no dia-a-dia, já que sua função é dar mais sabor, melhorar a consistência e prolongar a data de validade de alguns deles.

A batata frita da lanchonete, a pipoca de microondas, a maioria das margarinas, os bolos e tortas industrializados, biscoitos, o pacote de salgadinhos... Todas estas delícias que você costuma comer contêm a gordura em seus ingredientes.

Assim como a gordura saturada, a trans aumenta os níveis de LDL - o chamado mau colesterol -, além de diminuir os índices de HDL - o bom colesterol circulante no sangue. A competição com os ácidos graxos essenciais e o aumento dos níveis de triglicerídios plasmáticos são outros efeitos nocivos.

A pesquisadora e presidente da Associação Brasileira de Óleos e Gorduras, Drª Jane Mara Block, fala sobre um outro prejuízo produzido pela trans. “Em uma pesquisa apresentada ano passado no 66º encontro anual da Associação Americana de Diabetes, foi apresentado um estudo realizado na Universidade Wake Forest, coordenado pelo patologista Lawrence Rudel, que mostra a possível relação entre a alimentação com gorduras trans e o favorecimento do depósito de tecido adiposo no abdômen - a conhecida barriguinha”, revela.

Mas, segundo a especialista, a comprovação deste fato depende do prosseguimento da pesquisa. “É preciso também estar atento à quantidade máxima de gorduras que um indivíduo deve ingerir em sua alimentação diária. Desde junho de 2006 a Associação Americana do Coração recomenda que a ingestão diária de trans não ultrapasse 1% do total de calorias de uma dieta. Isto significa cerca de 2 gramas de gordura trans em uma dieta de 2000 calorias”, afirma a Drª Jane. Ela diz também que uma dieta saudável deve ter baixos teores de gordura saturada, trans e colesterol e teores elevados de gordura mono e polinsaturadas, encontradas em óleos vegetais e peixes.

Por esse motivo, a Associação Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) determinou, desde julho de 2006, a seguinte obrigatoriedade: informações sobre este tipo de gordura devem constar nos rótulos dos produtos. Recomenda-se, portanto, uma atenta leitura das embalagens antes da compra.

Postado por: Claudia Moraes  

veja também