Mantenha a mente em forma

Mantenha a mente em forma

Atualizado: Quinta-feira, 1 Abril de 2010 as 12

Uma pesquisa meta-analítica afirma que ser adepto de uma rotina de exercícios físicos pode ser considerado um tratamento efetivo, mas subestimado, contra os efeitos da depressão moderada. A revisão científica foi publicada no periódico Professional Psychology: Research and Practice, e também mostrou evidências de que a atividade física regular pode auxiliar tratamentos de transtornos como a esquizofrenia, a dependência química, assim como para alguns tipos de transtornos de ansiedade, especialmente nas pessoas que sofrem com problemas de imagem corporal.

A meta-análise, feita por Gregg Tkachuk e Garry Martin – ambos da Universidade de Manitoba, no Canadá – revisou artigos sobre os benefícios da prática esportiva no tratamento de transtornos mentais publicados desde 1981. Os pesquisadores confirmaram, por exemplo, que exercícios anaeróbicos, como treinos de musculação, eram tão positivos quanto exercícios aeróbicos no tratamento da depressão moderada, assim como em alguns episódios mais severos do transtorno.

Já exercícios leves, como caminhadas, também mostraram algum benefício nesse tipo de tratamento, porém os pesquisadores indicam a necessidade de mais estudos para confirmar os dados.

Outras descobertas interessantes, reveladas pela revisão, foram que as atividades físicas também se mostraram efetivas na redução de transtornos comportamentais disruptivos e na melhora do desempenho de trabalho de indivíduos com atrasos de desenvolvimento mental.

Em pessoas com transtorno do pânico, também foram observados diversos resultados positivos, assim como nos indivíduos que sofriam com dores crônicas moderadas. No caso da esquizofrenia, os pesquisadores também observaram possíveis benefícios, mas que só poderão ser confirmados pela coleta de novos dados.

Considerando todos os benefícios observados pela prática rotineira de exercícios, os pesquisadores observaram ainda que é bastante surpreendente que a adoção desse hábito como tratamento alternativo, e paralelo aos tratamentos clínicos, não se tenha tornado prática comum, pois é muito mais efetivo do que outras terapias alternativas mais populares. Isso, dizem os pesquisadores, deveria ser popularizado entre os profissionais de saúde mental.

Postado por: Felipe Pinheiro

veja também